Marchionne pede mais calma na eletrificação dos veículos

16 outubro 2017

Numa altura em que a indústria automóvel se está a virar para alternativas aos motores a combustão, nem todos se mostram confiantes na solução elétrica. Um deles é Sergio Marchionne, CEO da Ferrari e FCA, ao duvidar do impacto dos veículos eléctricos sobre o meio ambiente. Antes de mais, aquele responsável defende uma análise mais rigorosa aos efeitos dos elétricos para que então seja possível determinar se realmente existe uma vantagem em relação aos motores de combustão interna.

"Se não se efetuar uma análise completa sobre a origem da energia eléctrica, de onde ela vem, como equipar veículos com baterias elétricas, quais os custos em termos de CO2 e ambiente, penso que a ideia de que vamos salvar o planeta com veículos elétricos não faz sentido", afirmou Sergio Marchionne.

"Se dependermos de combustíveis fósseis para produzir eletricidade então o problema será muito maior", acrescentou. Marchionne é um forte crítico da eletrificação da indústria automóvel e afirma que a mesma não é rentável. Segundo o empresário, a Fiat perde cerca de 17.000 euros com cada 500e vendido.

A Ferrari não revelou intenções de eletrificar os seus modelos, mas o cenário pode ser alterado não só devido à concorrência como à pressão política com o objetivo de reduzir as emissões de CO2.

scroll up