Ano novo carregado de promessas e com os SUV a crescer

04 janeiro 2018

Propostas completamente novas, renovações ou alterações técnicas, mais ou menos profundas, é o que se espera da indústria automóvel para 2018. O muito popular e concorrido segmento dos SUV vai continuar a inovar, embora alguns superdesportivos estejam na calha para continuar a provocar novos sonhos. Os elétricos fazem naturalmente parte dos planos para o futuro, embora o ritmo possa não ser precisamente tão acelerado como se esperava. Por aqui desvendam-se duas mãos cheias de propostas estonteantes, umas muito mais desportivas do que outras.

O português Carlos Tavares, patrão do Grupo PSA, recentemente eleito para liderar a Associação Europeia de Fabricantes Automóveis (ACEA), adianta que será necessário estabelecer objetivos ambiciosos, mas realistas, para reduzir as emissões de CO2, mas também proteger e melhorar a competitividade da indústria automóvel europeia. Os automóveis totalmente elétricos estão, apesar de tudo, a caminho do futuro, com um processo de transição que passará pelos híbridos e Plug-in.

E se os SUV vão continuar a brilhar, com a moda a atingir a Skoda com o novo Karoq, depos do Kodiaq, a Mitsubishi a lançar um Eclipse Cross e a Jaguar a jogar com o E-Pace e o elétrico I-Pace, os modelos desportivos topo de gama desafiam outro tipo de paixões. A Porsche sublinha o estigma do 911 com as versões Carrera Turbo e GT2 RS, e a Ferrari lança o Portofino com um motor V8 Bitrubo de 600 cv. Em cima dos acontecimentos para 2018, a Aston Martin faz sair para o verão o cabrio DB 11 Volante, não esquecendo o Vantage e o Vanquish, lá mais para o final do ano. A Maserati vai montar um motor Ferrari de 500 cv para o Levante GTS, enquanto a Lamborghini assume a festa dos SUV com o Urus a chegar em março, sem esquecer os verdadeiros sonhos com o Aventador RS Roadster. E falando de marcas de luxo, a Bentley para além de fazer chegar aos mercados o Continental GT pensou numa versão híbrida PHEV para o seu SUV Bentayga.

scroll up