Dez touros fora de série

27 dezembro 2018

Desde que foi fundada em 1963 por Ferruccio Lamborghini que a marca do touro prima não apenas por criar superdesportivos, mas também por criar carros que quebram as normas e que não passam despercebidos a ninguém.

Mas há modelos da Lamborghini que vão mais longe que os outros quando chega a hora de romper as “regras” da estética automóvel. Dez deles, pode mesmo dizer-se, quebram todas as barreiras, seja por motivos estéticos, seja pelas suas prestações alucinantes.

O mais recente deles é o SC18 Alston, um carro único, desenvolvido “a la carte” pela Squadra Corse com base no já por si impressionante Aventador SVJ. O objetivo foi responder ao pedido de um cliente muito especial, e anónimo, que não ficou satisfeito com o 6:44,97s que o Aventador SVJ precisou para fazer os 20 km do Inferno Verde do Nürburgring e pediu muito mais. O resultado foi um carro de pista homologado para estrada que, em termos estéticos, é uma mistura entre os Lamborghini Huracán e Centenário e, em termos de motorização, conta com o mesmo V12 atmosférico de 770 cv que dá alma ao Aventador SVJ. A diferença está numa carroçaria totalmente em fibra de carbono, o que dá uma leveza excecional ao carro.

Antes desta pérola houve, contudo, outras que contribuíram para elevar a marca do touro ao estatuto de construtor arrojado, responsável pela criação de carros de sonho.

Entre os modelos que se ficaram apenas pela fase de protótipo, surgem o Egoista, criado com base no Gallardo para assinalar os 50 anos da marca e com apenas um lugar, o Pregunta, com base no Diablo, o Marzal, um quatro lugares com assinatura da Bertone, com portas asa de gaivota em vidro, tal como o tejadilho, e o Terzo Millennio, a incursão da Lamborghini pelos superdesportivos elétricos.

Já nos que passaram à fase de produção e ocupam lugares em algumas garagens muito especiais espalhadas um pouco por todo o mundo surgem o Sesto Elemento, do qual se produziram apenas 20 unidades, o Centenario, criado por ocasião dos 100 anos do nascimento de Ferruccio e do qual foram contruídos apenas 40 exemplares, 20 coupé e outros tantos roadsters, e o Veneno, criado também por ocasião do 50º aniversário do construtor e do qual foram produzidas apenas três unidades.

Ainda mais exclusivo que os três anteriores, mas não ao ponto da unidade única do SC18 Alston, surge o Aventador J. Um descapotável cujo nome foi buscar a inspiração ao Miura Jota de 1970 que se enquadrava nas especificações técnicas impostas pelo Anexo J da FIA para carros de competição.

Com um total de 20 unidades produzidas, e a fechar este exclusivo Top 10 da marca do touro, o Reventón, que foi buscar inspiração aos aviões mais rápidos, enquanto os elementos mecânicos são quase todos oriundos do Murciélago LP640.

scroll up