É no Porto que se perde mais tempo nas horas de ponta

03 maio 2018

Porto, Lisboa e Guimarães. É este o ranking das três cidades portuguesas que mais horas consomem aos seus automobilistas quando se trata de circular nas horas de ponta, revelado por um estudo da responsabilidade do INRIX, que analisou 1.368 cidades de 38 países, com recurso a uma rede que inclui 300 milhões de carros e dispositivos conectados, cobrindo mais de 8 milhões de quilómetros de estradas.

A bitola para estas conclusões é o número de horas que os condutores passam ao volante nas chamadas “horas de ponta”. Nesse estudo, o Porto aparece em 245º lugar, Lisboa no 375º e Guimarães no 515º lugar. Isto equivale a dizer que no Porto gastam-se 27 horas nas fases pendulares (casa-trabalho/escola e regresso) de maior trânsito, seguida de Lisboa, com 22 horas perdidas nesse tráfego, e Guimarães, com 18 horas, seguida pela vila de Cascais, com 15 horas.

Estas quatro cidades surgem muito destacadas das restantes oito cidades portuguesas analisadas, pois mais nenhuma ultrapassa a barreira das 10 horas anuais gastas nas horas de ponta. A que está mais próxima desse valor é Évora, com oito horas perdidas por ano, à frente de cidades como Braga, Coimbra e Viseu, entre outras. Ainda assim, o caso português está longe de exemplos europeus como Moscovo (91 horas), Londres (74 horas) e Paris (69 horas).

scroll up