Economia e ecologia a quanto obrigas?

30 agosto 2016

Embora ainda esteja longe de ser uma moda, os híbridos vão ganhando cada vez mais espaço na forma como o condutor do futuro encara a preservação do ambiente.

Muito antes de entrar no “radicalismo” de um veículo totalmente elétrico a tecnologia híbrida permite associar propulsores de combustão a gasolina e diesel, a motores elétricos, sustentado assim teorias mais ecológicas e transformando também uma utilização mais económica do seu carro, sem que lhe retire o prazer de conduzir, e até, se assim o desejar, atingir velocidades consideráveis. Obviamente que a tecnologia híbrida não é barata e que os consumos finais em relação a um diesel não são assim tão diferentes. Daí que a eterna paixão pelos motores a gasóleo continue a prevalecer, sustentando ainda a ideia de uma fiabilidade comprovada dos conhecidos blocos diesel, apesar de maiores emissões CO2. Mas é no momento da compra que o preço mais influencia as opções, mesmo dos mais ecológicos. Por isso existem mecanismos para tornar os híbridos mais amigos das carteiras dos portugueses.

Como exemplo olhamos para o Toyota RAV4 com um puro híbrido (gasolina de 2,5 litros associado a um motor elétrico) e por outro lado o conhecido diesel de 2,0 litros D-4D. Com diferente sustentabilidade, associando a tecnologia PHEV (Plug-in com carga externa), a Mitsubishi deu novos horizontes ao seu Outlander, associando dois motores elétricos ao bloco a gasolina de 2,0 litros, passando a contar com tração integral (AWD), mantendo no entanto o sempre fiel e fiável diesel 2.2 Di-D.

E como é necessário pesar os prós e contras e saber quanto se tem de pagar por cada uma das opções, aqui ficam apenas alguns dados para análise.

Com 20 anos de história, o SUV da Toyota, com espírito familiar e aventureiro, adotou a tecnologia híbrida para o RAV4, abrindo novas portas ao nível da eficiência, inovação e até design. Sistemas de condução dinâmica integrada e maior tração proporcionam um comportamento mais enérgico. Na opção híbrida de tração 4x2 o bloco a gasolina de 2,5 litros associado a um motor elétrico debita 197 cv de potência e faz com que o Toyota RAV4 atinja os 190 Km/hora e aponte para consumos médios a rondar os 4,9 litros por cada 100 km percorridos, segundo dados do construtor. Para este RAV4 híbrido é necessário desembolsar 40.800 €. Se preferir o conhecido bloco diesel 2.0 D-4D de 143 cv, saiba que o RAV4 pode atingir os 195 Km/h, apontando para consumos médios de 4,7 litros (dados oficiais). Neste caso, o SUV da Toyota está disponível a partir de 33.850 €, sendo ainda possível contar com campanhas de equipamento para o nível superior (Acitve para Comfort). Considerando os consumos médios apontados, as performances e o nível de equipamento, sem pensar obviamente na vertente ecológica que beneficia o híbrido, o Toyota RAV4 D-4D custa menos 6.950 € que o seu irmão. Um número que naturalmente obriga a pensar.

Pelo lado da Mitsubishi, o renovado Outlander PHEV oferece uma série de tecnologias que o tornam num híbrido capaz de diversos modos de condução. Com dois motores elétricos, o Outlander PHEV proporciona tração integral, com o seu bloco a gasolina de 2,0 litros a entrar em ação de forma bastante económica. Pode utilizar este SUV de modo totalmente elétrico, (cerca de 50 km de autonomia), de forma híbrida (motor a combustão e motores elétricos) ou só com o motor a gasolina, que neste caso faz com que o gerador interno carregue as baterias. Uma solução muito inteligente para este Outlander, que na opção PHEV oferece 203 cv de potência, atinge 170 km/hora e segundo o fabricante chega a oferecer até 1,8 litros de média em modo elétrico com apenas 42 gr/Km de emissões CO2. Este Mitsubishi Outlander está disponível a partir de 49.500 €, sendo no entanto possível uma redução de 6.500 € com financiamento e retoma de viatura com mais de 12 anos. Os benefícios fiscais podem abater ainda o IVA em caso de empresas. As baterias do Outlander PHEV contam com oito anos de garantia ou 160.000 km.

Fiel ao conhecido bloco diesel 2.2 Di-D de 150 cv, o Outlander tem a vantagem de oferecer 7 lugares, beneficiando as famílias numerosas, contando ainda com tração integral ou apenas 2WD. Aqui, os preços arrancam nos 37.000 €, sendo possível usufruir de 3.500 € de desconto, desde que recorra a financiamento. Neste caso o Mitsubishi Outlander chega aos 200 km/hora e aponta para consumos médios na ordem dos 6,1 litros por cada 100 km.

Ser ecologicamente correto a pensar no futuro, ou simplesmente fazer contas e tronar-se mais calculista. A escolha é naturalmente sua.

scroll up