Hyundai traça metas ousadas para o futuro próximo

09 setembro 2016

Com a Casa Mãe a querer ser a líder entre as marcas asiáticas na Europa até 2020, as metas da Hyundai em Portugal também não podiam deixar de ser ousadas, pelo que não admira que os responsáveis do construtor sul-coreano apontem para um total de vendas em 2017, duas vezes mais que o verificado em 2015.

E a julgar pelos números atuais de vendas a meta é bastante realista. “Em 2015 vendemos um total de 1.585 viaturas e neste momento estamos já com um crescimento na ordem dos 50%,” revela Sérgio Ribeiro, CEO da Hyundai Portugal. “Temos como meta as 2.700 unidades este ano, mas é já um dado adquirido que vamos crescer, pelo menos, 60% face ao ano passado.”

Um valor muito significativo e que acaba por deixar a marca a meio caminho do objetivo de vendas de 4.000 automóveis em 2017. Para isso, e até lá, são vários os lançamentos em agenda. Em janeiro será revelado o facelift do i10, em fevereiro tem início a comercialização do i30, dado a conhecer na pré-apresentação mundial desta quarta-feira na sede europeia da marca em Frankfurt. Para maio está prevista a apresentação do Ioniq Plugin, assim como o Genesis com o bloco diesel 2.2 de 200 cv que equipa o Santa Fé. Em junho deverá ser dada a conhecer a performante versão N do i30, altura em que também se espera o lançamento da variante carrinha do i30. A fechar o ano, o SUV do segmento B.

Até lá a marca pretende reconstruir a rede e a sua própria imagem, em grande parte com uma mudança na preponderância do peso dos seus veículos no total das vendas. Se atualmente o i20 representa 40% das vendas, com o Tucson a chegar a cerca de 30%, em 2017 o i30 deverá passar a ter um peso de 25% no total de vendas, um pouco atrás do i20 e já à frente do Tucson.

scroll up