Interior do Lexus UX tem a mais pura tradição japonesa

13 fevereiro 2019

Depois de ter sido dado a conhecer mais o aspeto técnico, nomeadamente ao nível das motorizações, o novo Lexus UX 250H volta a ser notícia com enfoque na forma como o seu interior foi desenhado. Para isso, a equipa de design da marca recorreu a um conceito arquitetónico tradicional japonês, o "engawa".

“As casas no Japão costumam ter uma área de varanda que faz a ligação entre o interior e o exterior. O caso do Lexus UX é parecido: desenhámos a transição perfeita entre o habitáculo e o exterior do carro”, explica o designer-chefe do UX, Tetsuo Miki. Este pormenor permite aos passageiros experimentar uma sensação de amplitude, e ao condutor ter a noção precisa dos limites do automóvel, o que facilita muito a condução e a manobra em espaços pequenos.

A visibilidade geral do UX é reforçada pelo capot baixo, graças à nova plataforma (GA-C) e ao sistema de transmissão rebaixado.  A pele lisa, do revestimento dos bancos do UX foi inspirado no "sashiko", técnica tradicional japonesa aplicada na confeção de uniformes de artes marciais como o judo ou o kendo. Exige uma mão firme e habilidosa, pelo que, na Lexus, é executado pelos mestres "Takumi", os melhores entre os melhores.

A pele é costurada com novos padrões de perfuração que formam curvas e variações matemáticas perfeitamente alinhadas e enaltecem a aparência dos bancos. “Esta técnica tradicional tem mais de 1.200 anos. Pode comportar até 10 pontos por polegada e a sua robustez torna-a bastante popular na aplicação a uniformes de judo e kendo.

No passado, esta forma artesanal de costurar era muito utilizada pelos primeiros bombeiros no Japão – servia de proteção aos casacos de algodão”, explica a designer de interiores do UX, Keiko Shishido. Acabamentos ‘Washi’ O novo UX é o primeiro Lexus com painéis inspirados no "washi", papel utilizado nas portas de correr "shoji", típicas das casas tradicionais japonesas.

scroll up