Mercedes-Benz aposta nos híbridos diesel

08 março 2018

A Mercedes-Benz não vira a cara a uma das suas maiores apostas dos últimos anos, os motores diesel, de tal forma que, além de querer provar que este tipo de combustão pode ser uma alternativa muito eficiente, também quer mostrar que o gasóleo e os motores eleétricos em registo híbrido funcionam muito bem. Por isso, depois de ter testado primeiro com S 560, a Mercedes apresentou agora a tecnologia híbrida plug-in aplicada ao Classe C e Classe E. 

Quem segue as experiências e as novidades de uma das marcas premium mais reputadas do mundo então por certo lembrar-se-á do robusto Mercedes Classe S 560e, apresentado no ano passado no Salão de Frankfurt. É um modelo que tem duas motorizações: para a Europa, um V6 de 367 cv; para os EUA, um V8 de 463 cv. Para ambos, um motor auxiliar de 90 kW, que permitia anunciar consumos de 2,1 l/100 km e emissões de 49 g/km. E este motor elétrico é que é a notícia, pois vai agora acompanhar os novos Classe C e Classe E. 

O sistema híbrido irá combinar o motor diesel todo em alumínio, o OM 654 de quatro cilindros, com a transmissão híbrida 9G-TRONIC de última geração, para reduzir ou eliminar as emissões locais e melhorar a dinâmica. O novo diesel já possui algumas das emissões de CO2 e micropartículas mais baixas.

Estes híbridos plug-in vão também receber a potência elétrica adicional de 90 kW e binário elétrico de 440 Nm para um total combinado de 700 Nm (disponível a partir das 1.400 rpm). A autonomia do motor elétrico irá garantir cerca de 50 km, segundo os ensaios em NEDC, graças a uma bateria de iões de lítio de 13,5 kWh, enquanto a velocidade máxima no modo Eco foi aumentada de 130 para 140 km/h.

Há também um novo carregador de bordo que duplica a taxa de carregamento de 3.6 kW para 7.2 kW, permitindo uma recarga completa em apenas duas horas com uma caixa de parede ou cerca de sete horas com uma tomada de energia elétrica convencional. 

scroll up