Novo Vantage, o herdeiro da dinastia desportiva

28 novembro 2017

Sessenta e seis anos depois da estreia, eis que o Vantage se apresenta totalmente renovado. Começando pelo que salta primeiro aos olhos, as novas linhas do herdeiro da dinastia desportiva da Aston Martin trazem consigo uma linguagem de design arrojada e distintiva onde o escultural, o atlético e o aspeto predatório são incontornáveis.

E se alguns dos novos traços, como as luzes frontais e traseiras pretendem dar ao Vantage um aspeto singular e inconfundível, já a maioria das restantes linhas tem em mente a prestação aerodinâmica. Tudo com o objetivo de gerar um nível de downforce inédito num Aston Martin de produção e, com isso, torna-lo ainda mais performante e desportivo.

Menos óbvio ao primeiro olhar, mas centro de todas as atenções ao segundo, quando nos aproximamos do carro e começamos a vislumbrar o que vai para lá dos vidros, o interior é também ele uma história de design.

Com o habitáculo de um desportivo em mente, o Vantage desproveu-se de linhas curvas e optou antes por um traço bem vincado e mais agressivo. Com uma cintura mais elevada e a posição dos ocupantes mais rebaixada, a habitabilidade interior aumentou de forma significativa, principalmente no que respeita ao espaço para a cabeça. Ao mesmo tempo, o rebaixar da posição do condutor e passageiro contribui para baixar o centro gravítico do carro e, com isso, melhorar ainda mais o comportamento e aderência do Vantage.

Mas a verdade é que tudo isto é, se assim se pode chamar, o embrulho que envolve a alma deste Vantage. Posicionado o mais atrás e baixo possível, mais uma vez a pensar num baixo centro gravítico e na melhoria da prestação, o potente 4 litros V8 bi-turbo frontal debita 503 cavalos de potência às 6.000 rpm e disponibiliza um binário de 685Nm entre as 2.000 e as 5.000 rpm. Números que impressionam, mas que só ganham significado quando são transpostos para a estrada, o que fica a cargo de uma transmissão central traseira automática adaptativa da ZF com oito relações de caixa. Tudo junto, e estamos perante Aston Martin capaz de atingir os 312 km/h de velocidade máxima e de levar apenas 3,7 segundos para chegar dos 0 aos 100 km/h.

scroll up