O puro sangue da VW celebra 40 anos

04 novembro 2016

Já lá vão 40 anos e o Volkswagen Golf GTI continua a somar êxitos e a conquistar todos aqueles que apreciam o prazer da condução. Se existem casos de sucesso no mundo automóvel, o GTI é seguramente um deles. Desde que foi lançado em 1976, tem sabido reinventar-se ao longo de sete gerações, numa altura em que a marca alemã se prepara para apresentar um renovado VW Golf, o “irmão mais velho”, com novidades que vão muito além de um simples restyling e já muito centrado na nova realidade da mobilidade elétrica e da conectividade.

Mas vamos recuar quatro décadas para conhecer melhor a história do icónico GTI, um modelo concebido no maior secretismo e que, à partida, mostrava poucos detalhes que o distinguiam do Golf original. Isto apenas ao nível exterior porque as suas linhas escondiam uma máquina única, cuja potência chegava aos 100 cv.

Oito anos depois, a segunda geração do GTI apresentava um design mais inovador a começar pela sua traseira, mais estilizada, pneus desportivos e, claro, um motor que não poupava na potência: 112 cv. Este modelo revelava ainda outro pormenor inesquecível, a insígnia GTI contornada a vermelho, na grelha dianteira.

Em 1991 chegava a terceira geração do GTI. Um momento feliz para este modelo que viveu o lançamento da versão comemorativa dos 20 anos, em 1996, com a qual o GTI celebrava duas décadas de êxitos.

Sete anos depois chega um GTI mais conservador na imagem mas com prestações de nível superior graças a um motor de 1.8 turbo de 4 cilindros que chegava até aos 150 cv. Foi a geração que culminou com a edição do 25º aniversário equipada com um motor de 180 cv.

Na quinta geração, em 2004, a marca alemã prolongou de certo modo algum conservadorismo que marcou o GTI. Embora este revelasse melhorias ao nível estético com linhas mais atrativas, apresentava detalhes que lembravam a primeira geração mas com um motor que já ia nos 200 cv. Como esta geração do GTI coincidiu com os 30 anos do Golf GTI, a Volkswagen lançou o modelo especial “Edition 30”, de 230 cv.

Em 2011 chegou ao mercado um GTI cada vez mais potente e que alcançava uma velocidade máxima de 240 km/h nas versões Cabrio e Golf GTI “Edition 35”, com motor de 235 cv a tornar-se no GTI mais potente naquele ano.

Finalmente, a sétima e por enquanto última geração do Golf GTI, que partilha o motor 2.0 TSI do modelo anterior, oferece duas versões: o modelo base de 220 cv e o modelo Golf GTI Performance, de 230 cv, este último a fazer as delícias dos condutores mais exigentes.

Ainda no início deste ano foi apresentado o Golf GTI Clubsport de 290 cv e meses depois o Clubsport S de 310 cv, o Golf GTI mais rápido e potente da sua história que foi dado a conhecer no Festival de Worthersee, servindo a ocasião para se comemorar o 40º aniversário deste desportivo compacto.

Há 40 anos que falar do GTI é o mesmo que falar de êxito e de vanguarda com sete gerações de um modelo a representar para milhares de condutores a possibilidade de viver sensações emocionantes ao volante.

scroll up