Opel Insignia GSi é a cereja no topo do bolo

20 julho 2017

Mais preciso e mais eficiente. O novo Opel Insignia GSi é a berlina de elevadas ‘performances’ que completa a gama do novo Insignia. Este GSi vai ter estreia mundial no Salão Internacional de Frankfurt, em setembro.

Com uma afinação de chassis orientada para a dinâmica, são múltiplos os pontos técnicos a merecerem destaque, desde o evoluído motor 2.0 Turbo de 260 cv de potência até à mais recente tecnologia 4x4 com vectorização de binário. A transmissão conta também com uma nova caixa automática de oito velocidades que pode ser comandada manualmente a partir de patilhas colocadas no volante. A versão GSi extrai todo o potencial das melhores características que marcam a nova geração Insignia, nomeadamente o peso reduzido e o baixo centro de gravidade. Assim, o Insignia GSi tem para oferecer uma ótima relação peso/potência e revela um excelente equilíbrio.

O visual condiz com o desempenho. O para-choques dianteiro possui duas grandes entradas de ar e na tampa da mala surge um ‘spoiler’ de dimensões consideráveis, para gerar carga aerodinâmica adicional a velocidades elevadas. No habitáculo sobressaem bancos dianteiros de tipo ‘bacquet’, forrados a couro, que são exclusivos desta versão, e um volante com base plana ao qual foi acrescentado ‘grip’. O objetivo de tornar o Insignia GSi dinamicamente diferente do já de si ágil Grand Sport levou os engenheiros a procederem a uma série de novas afinações em várias áreas. Na verdade, a versão GSi atinge o patamar máximo em matérias de tração e de precisão dinâmica, o que também é comprovado pelo cronómetro.

A suspensão do Insignia GSi recebe molas mais curtas em 10 milímetros e amortecedores de alto desempenho que reduzem os movimentos da carroçaria ao mínimo. Os travões Brembo, com pinças de quatro êmbolos, e a direção assistida, foram adaptados à nova configuração. De série, o GSi surge equipado com o chassis de controlo eletrónico FlexRide, capaz de reagir em frações de segundo para ajustar, entre outros, a pressão dos amortecedores e a assistência da direção. A unidade de controlo do sistema também consegue intervir ao nível da resposta do acelerador e dos pontos de troca das oito velocidades da caixa automática. O condutor pode escolher entre os modos Normal, Tour e Sport, com parâmetros diferentes de funcionamento. Um exclusivo do GSi é o modo ‘Competição’, ativado através do ESP, que permite a condutores experientes controlarem eles próprios ângulos maiores de derrapagens, bem como a entrega da potência - algo essencial para uma volta rápida no Nordschleife, por exemplo.

O chassis desportivo do Insignia GSi surge associado na perfeição aos evoluídos pneus Michelin Pilot Sport 4S, montados em jantes de 20 polegadas. Estes pneus são reconhecidos pelo elevado grau de aderência ao alcatrão, que é maximizado com o sistema de tração integral com vetorização de binário, inédito neste segmento de mercado. Esta sofisticada transmissão possui um eixo traseiro com duas embraiagens em vez de um diferencial convencional. Desta forma, o sistema consegue aplicar de forma variável e diferenciada a potência a cada uma das rodas traseiras. E isso aumenta consideravelmente a estabilidade, ajudando o automóvel a descrever curvas, sem efeitos de subviragem.

O motor do novo Insignia GSi é um 2.0 Turbo a gasolina, com 260 cv, particularmente eficiente de ambos os pontos de vista de entrega de potência e de consumo de combustível (NEDC: urbano 11,2 l/100 km; extraurbano 7,1 l/100 km; misto 8,6 l/100 km; 197 g/km CO2). O elevado binário máximo de 400 Nm está disponível numa faixa alargada de rotações. Este motor de quatro cilindros tem acoplada uma novíssima caixa automática de oito velocidades que pode ser comandada manualmente na alavanca ou através de patilhas no volante. No modo automático, os pontos de troca de velocidades são diferentes nos modos de condução Normal e Sport. Para além do 2.0 Turbo, o Insignia GSi facultará a opção de um potente motor turbodiesel.

Equipamento exclusivo

O perfil dinâmico do novo Opel Insignia GSi espelha-se discretamente no exterior e no interior com equipamentos exclusivos desta versão. No topo da lista surgem os bancos dianteiros, desenvolvidos pela Opel, que proporcionam total apoio lateral e, simultaneamente, elevado conforto em viagens de longa distância. Estes bancos têm a aprovação da agência de ergonomia AGR. Tal como no Insignia Grand Sport, dispõem de ventilação, aquecimento, massagem e largura de costas regulável. O encosto de cabeça está integrado e a passagem da fita do cinto de segurança é ideal, o que nem sempre acontece neste género de bancos. É possível optar entre duas combinações de couro, que surgem ambas decoradas com um logótipo GSi. O mesmo emblema aparece no exterior, na tampa da mala. Aqui está colocado um ‘spoiler’ que gera carga aerodinâmica adicional no eixo traseiro. A parte inferior do para-choques assemelha-se a um difusor aerodinâmico e está ladeado pelas saídas de escape com molduras cromadas. Igualmente cromadas são as entradas de ar à frente das rodas dianteiras. Uma nota ainda para o volante com parte inferior plana, os pedais com capas a imitar alumínio e o forro do tejadilho em cor preta.

33 anos de tradição GSi

Adotada pela Opel em 1984, a sigla GSi surge pela primeira vez nos modelos Manta GSi e Kadett GSi, com motor 1.8 de 115 cv. Quatro anos mais tarde aparece no Kadett GSi 16V equipado com o célebre 2.0 DOHC de 16 válvulas que debitava 150 cv. O primeiro Astra, em 1993, também herdou este motor, bem como a designação, que veio a partilhar com uma versão 1.8 de 125 cv. E houve igualmente versões GSi em várias gerações Corsa, começando no Corsa A com 100 cv e terminando no Corsa D em agosto de 2012.

scroll up