Para a Volvo a segurança foi sempre uma prioridade

29 dezembro 2017

O cinto de segurança de três pontos de fixação tal como hoje o conhecemos, mais seguro e eficaz, foi desenhado pelo engenheiro Nils Bohlin na década de 50 para equipar os automóveis Volvo. Mas antes já existiam diferentes tipos de cintos de segurança (nos anos 30 chegou a haver imposições nos EUA para colocar cintos nos automóveis), sendo os cintos de dois pontos a solução mais utilizada, e até existiam algumas variantes dos cintos de três pontos. O problema era que estes não protegiam os ocupantes de forma eficiente, especialmente a velocidades mais elevadas.

Nils Bohlin havia já compreendido as forças geradas numa colisão. Basicamente, o cinto deveria absorver a força na área correta ao mesmo tempo que deveria ser fácil de usar e de ajustar. O design desta inovação tinha tanto de simples como de eficiente: a combinação de um cinto diagonal e de outro horizontal, que formavam um “V” e que estavam presos a um ponto de fixação baixa, colocado de forma lateral ao assento, capaz de assegurar que os cintos se mantinham na sua posição mesmo após um acidente. Estes mesmos princípios são aplicados hoje e a utilização deste cinto reduz o risco de fatalidade ou de lesão grave em mais de 50%.

Não é fácil apurar um número exato do número de vidas que já foram salvas graças à utilização do cinto de segurança de três pontos, mas estima-se que a nível global mais de 1 milhão de pessoas deva a sua vida à sua utilização e muitas mais tenham evitado lesões graves.

scroll up