Rede da Mobi.e custa ao país 29 mil euros mensais

24 julho 2018

Além de uma rede de postos que acusa a falta de investimento na manutenção ou renovação, tal como noticiado pelo Autoclube, a Mobi.e representa ainda um encargo para os cofres públicos pelo facto de que os carregamentos efetuados na sua rede não serem ainda pagos pelos utilizadores, isto apesar de a gestora já ter tentado introduzir o pagamento por três vezes

Com isto, cabe assim aos contribuintes pagar os 400 mil euros anuais (29 mil euros por mês) de fatura de energia elétrica, um valor que poderá sofrer variações, se se cumprir a expectativa do mercado de que a eletricidade vai sofrer aumentos, se aumentar o número de postos a funcionar e se houver ainda mais utilizadores de viaturas elétricas ou híbridas a usufruir da atual borla. Segundo o portal "Dinheiro Vivo", fonte da empresa terá revelado que a conta de eletricidade da Mobi.e já subiu cerca de 4 mil euros mensais de há um ano para cá. 

scroll up