Renault quer elétricos a 10 mil euros daqui a 5 anos

24 setembro 2019

A Renault está a trabalhar num veículo elétrico que deverá ser vendido na Europa por não mais do que os 10 mil euros, um valor que fica a menos de um terço do valor atual de um Renault Zoe (na foto) dos mais baratos, que custa cerca de 35 mil euros e que é um dos três elétricos mais vendido em Portugal, a par do Tesla Model 3 e do Nissan Leaf (que partilha motor e tecnologia com o modelo francês). 

Este veículo elétrico poderá ser colocado à venda nos próximos cinco anos, afirmou o novo CEO da Renault, Thierry Bollore, que foi substituir Carlos Goshn. A Renault já leva uma década de experiência no fabrico de carros elétricos. Segundo Bollore, "a Renault já está a ganhar dinheiro com os carros elétricos atualmente, embora com volumes bastante modestos em termos de vendas absolutas". Em ambiente de Salão de Frankfurt, o responsável máximo da empresa francesa acredita que "é possível ganhar dinheiro" com um elétrico de baixo preço. Uma das valências possíveis para viabilizar este projeto é a sua aplicação em sistema de aluguer de curta duração ou "carsharing".

"Quando olhamos para este novo modelo de negócios, que é a mobilidade partilhada, salta à vista a necessidade de ter carros modernos e atraentes a um custo razoável", afirmou. E dá o exemplo dos 800 Zoe que estão a circular em Madrid em regime de aluguer de curta duração, um projeto "que já está a dar lucro", disse Bollore.

Recorde-se que próximo ano, a Renault vai iniciar as vendas na China do K-ZE, uma versão elétrica do utilitário Kwid, um modelo criado para os mercados fora da Europa.

Os preços do K-ZE ainda não foram revelados, mas os responsáveis da Renault já vieram garantir que têm de ser preços competitivos com modelos chineses domésticos similares, que por lá são vendidos por menos de 10 mil euros. A Renault não descarta levar o K-ZE para a Europa, se se comprovar o seu sucesso na China.

scroll up