Trezor apresenta hoje a tecnologia do futuro

04 outubro 2016

Com um design inovador de linhas simples, sensuais e calorosas, o Trezor mostra desde logo na face dianteira o seu caráter dinâmico e espírito desportivo.

São muitos os pormenores, tanto na estética como na tecnologia, que o Trezor convida a descobrir e uma delas está no capô onde a entrada de ar em forma de favo de abelha revela uma perfeita harmonia com a estrutura traseira da sua carroçaria.

As formas hexagonais asseguram uma entrada de ar de geometria variável, cujo movimento confere um estilo tão vivo ao Trezor que dá a sensação que o automóvel respira.

Do lado do condutor, a tampa do depósito de combustível foi substituída por um indicador analógico que mostra o nível de carga do automóvel.

Percorrendo o exterior encontramos, atrás, a assinatura luminosa do Trezor composta por fibras óticas que integram uma luz laser vermelha.

A travagem do automóvel provoca um efeito visual e uma luz viva graças à torção e sobreposição das fibras óticas.

O estilo é sensual, com predominância da cor vermelha, e está centrado no prazer de conduzir, através da utilização de materiais nobres, como a madeira e o couro.

O cockpit prefigura os interiores ainda mais elegantes, requintados e conectados dos futuros modelos Renault.

Esta forma de entrar a bordo é uma alusão aos automóveis clássicos de competição, nos quais piloto e máquina são um só. O acesso a bordo é facilitado pelos apoios de cabeça que recuam automaticamente.

O Trezor oferece ainda um efeito de surpresa quando deixa antever um painel de bordo em madeira vermelha, que integra um compartimento para bagagem situado na frente do automóvel.

A forma arredondada dos bancos, inspirada no universo do mobiliário, cria um espaço acolhedor e confortável. Revestidos com um couro liso, de um vermelho profundo, sugerem a paixão e o requinte da marroquinaria.

O volante, com forma retangular, não interfere com o campo de visão e exibe um design inspirado no mundo da Fórmula 1. Está equipado com três ecrãs: o ecrã central, com o logótipo, e dois ecrãs táteis de cada lado, que substituem as tradicionais hastes.

Inspirado na experiência da Renault em matéria de mobilidade elétrica, o motor do Trezor deriva do motor utilizado pela Renault e.dams, a equipa bicampeã do mundo da disciplina.

Com uma potência de 260 kW (350 cv) e um binário de 380 Nm, permite acelerar dos 0 aos 100 km/h em menos de 4 segundos.

O Trezor dispõe de duas baterias, cada uma delas com o seu próprio sistema de arrefecimento, cujo desempenho é otimizado pela entrada de ar do capô de geometria variável.

Este modelo está ainda equipado com um sistema de recuperação da energia de travagem, graças à tecnologia RESS (Rechargeable Energy Storage System) desenvolvida para a Fórmula E.

scroll up