Lancia Delta Integrale celebra 30 anos

09 novembro 2017

Com a Lancia em risco de acabar como marca – atualmente confinada ao mercado italiano com o modelo Ypsilon – muitos responsáveis dentro do Grupo FCA gostariam que o emblemático modelo desportivo pudesse voltar à produção mas isso não faz parte da lista de prioridades do patrão do grupo, Sergio Marchionne, pouco dado a sentimentalismos e mais focado na reformolação da Alfa Romeo.

Isto numa altura em que na indústria automóvel se verificam casos de sucesso com as marcas a recuperarem modelos do passado. Desenhado em 1979 por Giorgio Guigiaro, o Delta Integrale utilizava a plataforma do Fiat Ritmo, um concorrente do Volkswagen Golf, oferecendo alguns luxos no interior, soluções técnicas que continuam a impressionar e um design que tem resistido ao tempo. Caraterísticas que fazem deste um dos modelos mais importantes da marca.

O primeiro Delta Integrale desenvolvido para competição surgiu em 1985 quando a Lancia decidiu substituir o seu vitorioso 037 de tração traseira pelo mais potente Delta S4. Foi necessária a construção e homologação de 200 unidades de estrada, para que este bólide pudesse competir no então Grupo B, onde praticamente não existiam restrições.

Futuro-Clássico é um veículo com mais de 20 anos, com interesse de coleção, em bom estado de conservação e que não se destina a uso diário. 

Em 1987 surge a primeira versão do Lancia Delta Integrale 8V ou Delta 4WD equipada com motor de quatro cilindros e um turbo-compressor que debitava 185 cv de potência, utilizada pela Lancia para homologar a versão de competição do modelo que viria a dominar por vários anos o Campeonato do Mundo de Ralis.

Em 1989, a Lancia acrescentava mais potência ao seu Delta Integrale com a apresentação da versão de 16 válvulas subindo a potência para 200 cv. Dois anos depois, a marca volta a rever o modelo em toda a sua dinâmica criando o primeiro Evoluzione (também conhecido como Deltona), com carroçaria mais abaulada, mais curta e com entradas de ar muito vincadas, cuja potência do motor de  quatro cilindros subia para os 210 cv.

Em 1993, surge o Lancia Delta Integrale Evoluzione II esteticamente semelhante ao seu antecessor mas equipado com motor mais potente, que chegava aos 215 cv. Com a incerteza de um dia voltar à produção, resta ao mítico Lancia Delta Integrale brilhar no universo da realidade virtual alimentando a adrenalina de muitos fãs, nos jogos de consola.

scroll up