Volvo Amazon celebra 60 anos

02 setembro 2016

Em 1956, o Amazon de 4 portas foi pela primeira vez revelado na Suécia, em Örebro, no primeiro fim-de-semana de Setembro. Com um aspeto elegante, este modelo diferia bastante da perceção generalizada sobre o design comum que os modelos da Volvo deveriam ter. As suas formas eram bastante desafiantes para a época e continham características de design italiano, britânico e americano. O principal responsável pelo seu desenvolvimento foi o designer, Jan Wilsgaard, então com 26 anos, e que viria a liderar, durante muitos anos o design da Volvo tendo estado envolvido na série 140, 240 e 700 bem como na série 800. Jan Wilsgaard faleceu recentemente aos 86 anos.

Após o PV444, este foi o segundo automóvel do Pós-Guerra para a Volvo. Inicialmente foi-lhe dado o nome Amason – assim escrito com ‘s’. O nome derivava da mitologia grega. De forma a corresponder a um nome mais apelativo internacionalmente, o modelo seria posteriormente batizado de Amazon antes do início da sua produção, em 1957. Infelizmente, a empresa alemã de motos Kreidler também lançou nessa altura um modelo denominado Amazone, o que fez com que o nome estivesse indisponível numa série de mercados.

A Volvo alcançou então um acordo que lhe permitiria utilizar a nomenclatura Amazon nos mercados nórdicos. No resto do Mundo, o modelo denominava-se 121 enquanto a versão desportiva seria conhecida por 122. A versão carrinha, seria conhecida como 221, enquanto 222 seria o nome da carrinha com motorização mais desportiva. Contudo, o automóvel ficaria conhecido em todo o Mundo como Amazon.

De 1957 a 1959, todas as versões possuíam uma combinação de duas cores. As possibilidades variavam entre preto, azul ou vermelho com teto cinzento ou cinzento com teto preto. A partir de 1959, passou a ser possível adquirir um Amazon com apenas uma cor e, em 1961, as versões com duas cores deixariam de ser produzidas.

A versão Amazon Sport de 1958 foi desenvolvida para os clientes que apreciavam mais potencia e disponibilizava até 85 cv. Em 1959, o cinto de segurança de 3 pontos desenvolvido pela Volvo passou a ser incorporado de série no Amazon – uma estreia mundial! Nenhuma outra inovação de segurança seria tão significante para o mundo automóvel. Estima-se que, pelo menos, 1 milhão de vidas tenha sido já salva ao longo dos seus 57 anos de existência desta invenção da Volvo.

Fevereiro de 1962 assinalou a introdução no mercado da versão Amazon carrinha. A diferença entre este modelo e a carrinha Duett era substancial. A edição mais desportiva do Amazon foi a 123 GT. Lançada em 1967, proporcionava 115 cv e partilhava a motorização com o 1800S.

A produção do Amazon prosseguiu apesar da introdução da série 140 no mercado, em 1966. Quer o  Amazon quer a série 140 receberiam o novo motor B20 para os seus modelos de 1969.

Entre 1956 e 1970 foram produzidos 667.791 Amazon fazendo deste o modelo de maior sucesso da Volvo até então e aquele que assinalaria a sua presença internacional.

De facto, de um foco inicialmente reservado ao mercado sueco, a marca passou a exportar bastante – cerca de 60% dos Amazon produzidos foram vendidos para fora da Suécia.

Este foi também o primeiro modelo Volvo cuja produção decorreu fora do País. Em 1963, a fábrica da Volvo em Halifax, no Canadá, abriu as suas portas. Os carros aí produzidos destinavam-se ao mercado norte-americano.

Posteriormente, seria também aberta uma linha de montagem em Durban, na Africa do Sul. Contudo, o maior investimento seria feito na cidade belga de Ghent. Uma vez que a Suécia não pertencia ao espaço EEC, ganhava importância uma fábrica dentro deste território. Em 1965, esta fábrica abriu as suas portas com uma capacidade produtiva anual de 14.000 unidades.

A 3 de Julho de 1970, o último Amazon foi produzido em Torslanda, na Suécia. Foi um automóvel azul-escuro que se destinou à coleção de modelos da marca que mais viria a constituir o Museu da Volvo. 

scroll up