Di Grassi vence corrida 1 de Montreal

30 julho 2017

Pela primeira vez esta época a Fórmula E conhece um novo líder da tabela de pontos, tudo graças a uma prestação quase perfeita de Lucas di Grassi, que levou de vencida a estreia do Hydro-Quebec Montreal ePrix.

Di Grassi chegou ao Canadá a 10 pontos da liderança, e começou por reduzir o atraso ao bater o rival ao título Sebastien Buemi no duelo pela Julius Baer Pole Position, o que lhe valeu três pontos de bónus.

Contudo, Buemi acabaria por não alinhar na primeira linha da grelha já que na segunda sessão de treinos livres cometeu pequeno erro na chicane rápida que leva à reta da meta. Ele tocou no muro interior com a roda frontal esquerda, o que o atirou para o outro muro a alta velocidade. Felizmente o piloto saiu ileso, mas o mesmo não se pode dizer da bateria do Renault e.dams. Com a equipa a ter já usado um joker para uma troca anterior, a substituição daa bateria levou à perda de dez lugares na grelha e consequente partida do 12º posto.

Di Grassi tirou excelente partido da pole para assumir liderança confortável, enquanto Buemi se viu preso a meio do pelotão. Juntou-se a isto um toque em Robin Frijns (Andretti) logo na primeira volta e que danificou a direção, levando-o a passar na meta em 16º.

Buemi deu tudo para recuperar posições e entrar nos pontos e quando passou o Faraday Future Dragon Racing de Loic Duval para chegar a 10º, Nick Heidfeld tentou a mesma manobra. Duval não cedeu, mas saiu-lhe caro, pois um toque deixou-o fora de ação, enquanto o Mahindra de Heidfeld partiu a suspensão e também ficou parado na pista, o que obrigou à apresentação de Bandeiras Amarelas em toda a pista.

Como nessa altura decorria a janela temporal para a troca obrigatória de carros, a maioria dos pilotos elegeu o momento para ir às boxes. Di Grassi regressou à pista com vantagem ainda mais dilatada, enquanto Buemi se envolveu em despique com Daniel Abt (Abt Schaeffler Audi Sport) à entrada nas boxes, com Abt a sair a ganhar e o germânico a ficar atrás.

A paragem morosa custou o terceiro posto a Felix Rosenqvist, com Jean-Eric Vergne (Techeetah) a reclamara a posição após o colega de equipa Stephane Sarrazin lhe ter cedido o lugar. Mas por essa altura di Grassi estava já a seis segundos de distância.

Mas a prova estava longe de terminada. Com os DS Virgin Racing a recuperarem terreno após problemas na qualificação, Jose Maria Lopez acabou por perder controlo do carro e bateu na parede, o que levou à entrada do Safety Car e anulou a vantagem de di Grassi.

Contudo, o piloto da Abt Schaeffler Audi Sport esteve irrepreensível no reatar da corrida ao usar o FanBost e manteve Vergne atrás de si para terminar em segundo a apenas 0,350s. No mais baixo do pódio ficou Sarrazin, já mais de sete segundos.

Abt foi quarto, com Sam Bird (DS Virgin Racing) a completar o Top 5. Já António Félix da Costa teve prova difícil. O português da Andretti não conseguiu melhor que 14º posto.

scroll up