Fafe fez o pleno dos troços de domingo

21 maio 2017

O presidente da Câmara Municipal de Fafe disse este domingo que o concelho viu reconhecida a sua importância na história do Rali de Portugal ao acolher todas as classificativas do último dia de prova.

Para Raul Cunha, a inclusão das quatro especiais no concelho minhoto atesta o apreço que o Automóvel Clube de Portugal (ACP) e a Federação Internacional do Automóvel (FIA) dedicam a Fafe.

"Creio que é uma homenagem mais do que merecida", afirmou o autarca, acompanhado do ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, e do presidente do ACP, Carlos Barbosa, minutos antes da ‘power stage', que encerrou a sexta prova do Mundial.

Os três visitaram o famoso salto da Pedra Sentada, no troço da Lameirinha, situado a poucas dezenas de metros do fim da especial, onde se encontravam dezenas de milhares de adeptos.

O último dia do Rali de Portugal foi hoje disputado nas estradas de montanha daquele concelho, o que foi uma novidade, integrando os troços de Luílhas, Montim e de Fafe, este último com duas passagens, a última das quais como ‘power stage', num total de 43 quilómetros de provas cronometradas.

Na cidade, foi também colocada uma zona de reabastecimento que permitiu aos habitantes o contacto de perto com as equipas de assistência, carros e pilotos.

Raul Cunha recordou também o papel que Fafe desempenhou, durante alguns anos, ao organizar o ‘WRC Fafe Rally Sprint', uma prova de demonstração que se realizou no troço mais emblemático do concelho durante três anos, quando o Rali de Portugal se disputava no sul do país.

Segundo o autarca, foi sobretudo graças ao sucesso daquele evento, que atraía dezenas de milhares de aficionados, que foi possível fazer regressar o Rali de Portugal ao norte do país, "onde ele é mais espetacular, tem mais adeptos e é mais acarinhado".

Antes, o ministro Tiago Brandão Rodrigues tinha recordado antes, em declarações aos jornalistas, a importância da prova para a promoção do país e para a dinamização da economia.

Segundo o governante, as economias locais por onde passa o rali, como o exemplo de Fafe, "veem-se assim privilegiadas por toda a publicidade positiva" proporcionada pela prova.

O rali é também "importante para a credibilidade da organização ladeada por tanto trabalho feito pelas autarquias", acrescentou.

scroll up