Magalhães foi mestre nos Açores

01 abril 2017

O piloto do Skoda Fabia R5 lidou de forma perfeita com as exigências dos troços de terra da ilha de São Miguel, e depois de um arranque algo modesto (quinto no final da primeira secção), Bruno Magalhães aumentou o ritmo e não mais parou.

Após a segunda passagem pelas Sete Cidades era já segundo, tendo beneficiado de problemas de pneus de Ricardo Moura nessa mesma classificativa, e bastou-lhe completar o segundo troço deste sábado para ascender à liderança, tirando partido da desistência de Alexey Lukyanuk na sequência do embate numa pedra e quebra do braço da direção.

A partir desse momento, tornava-se no quarto e definitivo líder da prova, vencendo com 1:34,4s de margem sobre a concorrência.

Atrás dele na classificação geral ficou o germânico Marijan Griebel (Skoda), com o irlandês Josh Moffett (Ford) no mais baixo do pódio. A completar a lista dos cinco primeiros ficaram mais dois estrangeiros, o que não é de estranhar quando se tem em conta que estamos a falar da primeira jornada do Campeonato da Europa de Ralis. O espanhol José María López (Peugeot) foi quarto, com o russo Nikolay Gryazin (Skoda) na quinta posição.

No que toca aos pilotos nacionais, e sem o Campeão em título José Pedro Fontes a participar, o pódio acabou por ser composto por Pedro Meireles, sexto da geral com o Skoda Fabia R5 e a mais de seis minutos da frente, e por João Barros, que deixou o Ford Fiesta R5 a mais de oito minutos do primeiro.

Já o piloto ACP, Miguel Barbosa, teve uma ronda complicada. Um furo logo na segunda especial do rali, e consequentes problemas de compostos de pneus com o sobressalente, levaram a significativa perda de tempo. Contudo, não baixou os braços e rodou de forma muito positiva, chegando mesmo a ser 10º da geral. No entanto, um toque na segunda passagem pelas Sete Cidades resultou num pneu a sair da jante e em queda à geral, terminando em 14º (6º dos inscritos no Campeonato Nacional de Ralis).

scroll up