Nasser Al- Attiyah e a Toyota dominaram o aperitivo do Dakar

06 janeiro 2018

Foram apenas 31 km ao cronómetro entre Lima e Pisco, mas o suficiente para fazer agitar os ânimos na grande caravana do Dakar. É claro que os pratos fortes da edição de 2018 da prova rainha do TT mundial ainda estão para ser servidos, mas as primeiras areias do Peru já causaram algumas surpresas. Nasser Al-Attiyah foi rei e senhor ao volante da Toyota averbando o melhor tempo na especial com 25 segundos de vantagem para outra Toyota, a de Bernhard Ten Brinke. A 3ª posição acabou por ser a surpresa positiva do dia, com o Borgward do peruano Nicolas Fuchs a fazer as delícias do público da casa, terminando a 34 segundos de Al-Attiyah.

Fora das contas do pódio ficaram os Mini de Bryce Menzies, que estreou de forma positiva a versão Buggy da X-Raid, e se classificou à frente do All4 Racing de Nani Roma, o 5º da geral a 53 segundos do líder. Por incrível que possa ter parecido, os Peugeot 3008 DKR Maxi ficaram fora dos dez primeiros classificados, com alguns problemas de percurso. Stephane Peterhansel acabou por ser o melhor entre os carros franceses ao registar o 11º lugar, mas a 2m15 do vencedor. Carlos Sainz foi apenas o 16º classificado a 2m39 e Sébastien Loeb o 29º da geral a 5m37.

Em relação às presenças portuguesas nos automóveis, o melhor acabou por ser o navegador Filipe Palmeiro que, ao lado do chileno Boris Garafulic terminou no 12º lugar da geral com o Mini All4 Racing. Quanto a Carlos Sousa, as coisas não correram nada bem neste primeiro dia de prova. Embora fosse apenas um aperitivo, Carlos Sousa teve problemas de navegação, chegando mesmo a perder um “way point”, o que lhe irá valer 20 minutos de penalização. O piloto luso viria a terminar no 30º lugar da geral a 5m48 do vencedor, queixando-se ainda de uma relação da caixa de velocidades do Renault Duster demasiado curta, o que o impossibilita de atingir maior velocidade. André Villas Boas na sua estreia no Dakar com uma Toyota Overdrive e com Ruben Faria como navegador, foi o 46º classificado a 11m01 de Nasser Al-Attiyah. Um dia curto, mas bastante desgastante.

Sam Sunderland vence nas motos e o azar continua com os portugueses

A KTM e Sunderland começaram o Dakar 2018 a impor a sua lei. Uma vitória inequívoca na pequena especial valeu uma vantagem de 33 segundos para a Yamaha de Adrien Van Beveren, o 2º classificado e 56 segundos para a Husqvarna de Pablo Quintanilla que se classificou um segundo à frente da Honda de Joan Barreda. Depois dos azares que impossibilitaram a presença de Paulo Gonçalves e Mário Patrão nesta edição do Dakar, a sorte não esteve ao lado de Joaquim Rodrigues, que foi vítima de uma queda algo violenta, tendo sido transferido de helicóptero para o hospital. Fausto Mota é agora o único português presente nas duas rodas, tendo terminado a etapa inaugural no 56º lugar da geral a 9m05 de Sam Sunderland.

Pedro Mello Breyner foi 4º entre os SXS

A nova categoria do Dakar conta com a presença da dupla portuguesa formada por Pedro Mello Breyner e Pedro Velosa num Yamaha, que terminaram o primeiro dia de competição num excelente 4º lugar da geral. A etapa foi ganha pelo piloto local Aníbal Aliaga num Polaris. Nos Quads o triunfo pertenceu ao chileno Ignacio Casale numa Yamaha.

scroll up