Neve e Fórmula 1 já se cruzaram por 12 vezes

28 fevereiro 2018

As condições climatéricas muito adversas que se têm feito sentir no Circuito da Catalunha, em que a neve chegou a marcar forte presença durante a manhã deste terceiro dia de testes de inverno, têm afetado, e de que maneira, o trabalho de preparação de pilotos e equipas.

Contudo, esta não foi a primeira vez que a categoria rainha do automobilismo se cruzou com mantos brancos. A maior parte das vezes foi em demonstrações promocionais, ou em apresentações, mas o cenário já se repetiu em outros três testes. Um deles em Barcelona e outros dois em Silverstone.

O primeiro registo de que há memória de uma Fórmula 1 num cenário de neve remonta a 1978, aquando da apresentação do Arrows FA/1 em Silverstone, com um muito jovem Riccardo Patrese no cockpit.

Depois foi preciso entrar no novo milénio para voltar a assistir a um cenário semelhante e dessa feita foi em testes. Foi na sessão de trabalho de Janeiro de 2001, em Silverstone.

Dois anos mais tarde, em Janeiro de 2003, a neve voltou a marcar presença na apresentação de mais um monolugar. Dessa feita no lançamento do Sauber C22, em Fiorano.

No mês seguinte foi a vez de Barcelona se estrear na união da neve e da Fórmula 1, com o teste de fevereiro a ver também mantos brancos no traçado catalão.

Seguiu-se 2005, também com duas situações de F1 e neve juntas. Uma delas, a apresentação da Jordan na Praça Vermelha, em Moscovo, chegou mesmo a contar com a presença do português Tiago Monteiro e do seu colega de equipa Narain Karthikeyan.

Depois foi a vez dos testes de Silverstone bisarem, em fevereiro. Enquanto a maior parte dos pilotos e equipas optou por ficar no recato das boxes, Fernando Alonso e a Renault optaram por testar paragens nas boxes para trocas de pneus e abastecimentos.

No ano seguinte, na cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno foi Luca Badoer que encantou o publico de Turim aos comandos de um Ferrari.

Em 2007, num BMW Sauber com pneus com pregos, Nick Haidfeld fez uma demonstração num lago coberto de neve e gelo em St. Moritz, na Suíça.

Quatro anos mais tarde, em 2010, Sebastian Buemi e a Red Bull decidiram assinalar o regresso da Fórmula 1 ao Canadá com uma demonstração num lago gelado no Norte do Quebec.

Em 2012, em fevereiro, foi a apresentação da Ferrari em Maranello que contou com um manto branco como pano de fundo.

Mais recentemente, em 2016, foram duas demonstrações diferentes. A primeira, em janeiro, viu Max Verstappen descer uma pista de ski da estância austríaca de Hahnenkamm apenas com correntes montadas no seu Red Bull.

A segunda, em fevereiro, teve Giancarlo Fisichella e a Ferrari como protagonistas em Livigno, nos Alpes Italianos.

scroll up