Peugeot domina dia com Despres a vencer

07 janeiro 2018

Depois de um arranque “tranquilo”, com 31 km cronometrados e 242 de ligação, eis que o segundo dia de competição do Rally Dakar 2018 presenteou os participantes com uma realidade inversa: o primeiro “loop” da prova, com partida e chegada a Pisco e disputado a sul da cidade peruana, foi composto por meros 12 km de ligação e 267 contra o cronómetro.

Como não podia deixar de ser, quanto maior a distância competitiva, maior o número de ocorrências e começou-se já a assistir a alguns contra tempos e alterações à geral. E, se na abertura do domínio foi da Toyota Gazoo Racing, hoje as regras foram ditadas pela armada Peugeot, com Cyril Despres, Stéphane Peterhansel e Sébastien Loeb a marcarem posição com as três posições do pódio.

Contudo, o primeiro a liderar foi Carlos Sainz, mas o espanhol deparou-se com problemas e perdeu mais de oito minutos para o “Senhor Dakar”, Peterhansel, à passagem por CP2 e viria depois a concluir a tirada em sexto, a 13 minutos da frente.

Autor da 13ª vitória da carreira na prova de 2017, o francês passou ao ataque, mas não teve tarefa fácil. O compatriota e colega de equipa Despres foi um opositor de monta. O também antigo motard começou por passar o primeiro controlo de passagem em quarto para depois recuperar terreno e chegar à liderança em CP4, posição que não mais perdeu até final.

Peterhansel acabou por ter de se contentar com o intermédio do pódio, a 48 segundos da frente, e com Loeb atrás de si, mas a mais de três minutos do primeiro.

Quem recuperou bem ao longo do dia foi Giniel de Villiers. O homem da Toyota Gazoo Racing começou por ser quinto e chegou a rodar em sétimo, mas recuperou terreno após o último CP para terminar na quarta posição, se bem que a 7m26s da frente.

Enquanto isso, Orlando Terranova levava a cabo um dia muito regular. Décimo-quarto à partida, o melhor representante da X-Raid passou CP1 em sexto e depois de ter chegado a rodar no quarto posto, acabou por cruzar a meta com o Mini em quinto, mas já a 12m53s do mais lesto.

Com Sainz a concluir na sexta posição, Miko Hirvonen (Mini, +13m09s) foi sétimo, batendo Nasser Al-Attiyah. O qatari, que ontem foi o mais rápido e hoje teve de abrir a pista, viu o navegador sentir-se mal ao cabo de 15 quilómetros, o que no final se traduziu num atraso de 14m51s.

Com este desfecho acabou por se assistir a várias alterações no topo da classificação. Despres é o novo líder, com Peterhansel logo atrás, a apenas 0m48s e com Loeb a completar o pódio a 3m08s da frente. De Villiers é agora quarto (+7m26s), seguido de Terranova, Sainz Hirvonen e Al-Attiyah... Ou seja, nas mesmas posições em que terminaram a especial de hoje.

Já no capítulo dos problemas e azares, Boris Garafulic, que é navegado pelo português Filipe Palmeiro, sofreu um toque do saudita Yazeed Al-Rajhi, ficando ambos à espera de assistência e perdendo desde já todas as possibilidades de atingirem um bom resultado no Dakar deste ano.

Quem também não teve um bom dia foi Carlos Sousa. O português do Renaul Duster perdeu muito tempo na primeira metade da especial, mas logrou depois recuperar para terminar em 25º, a 1h24m36s do primeiro. Por seu lado, André Villas-Boas, que chegou a rodar em 61º, terminou o dia em 44º, a mais de 3h28m da frente. Menos sorte teve a dupla Pedro Mello Breyner e Pedro Velosa. Os pilotos apoiados pelo ACP capotaram após CP1 e viram-se obrigados a desistir.

scroll up