Sunderland recupera liderança em erro de Barreda

08 janeiro 2018

A terceira etapa do Dakar, que ligou Pisco a San Juan de Marcona, no Peru, viu os 208 km cronometrados disputarem-se na mesma zona de ontem, mas nem por isso a tarefa foi mais fácil para os motards, com erros de navegação a ditarem duras consequências na classificação geral.

Mas houve quem tirasse bom partido do dia. Sam Sunderland voltou a impor-se e recuperou a liderança à geral após ter assinado a segunda vitória no Dakar deste ano. O piloto da KTM precisou de 3h20m43s para completar a classificativa, mas não se pense que tudo foram rosas.

O britânico contou com a oposição de dois rivais. Primeiro foi Toby Price. O colega de equipa australiano assumiu os comandos da especial à passagem por CP4, mas não se aguentou na frente por muito tempo, com Pablo Quintanilla a ditar o ritmo a partir de CP5. O chileno da Husqvarna, marca irmã da KTM, chegou a contar com mais de dois minutos de vantagem à passagem pelo último controlo, mas acabou por perder terreno na fase final e caiu para quinto, a 4m20s de Sunderland que, em CP5 chegou a ser cronometrado em terceiro, atrás de Kevin Benavides. O argentino ainda tentou dar à Honda a segunda vitória no Dakar, mas acabou por não encontrar os argumentos necessários e teve de se contentar com o intermédio do pódio, a 3m03s da frente e com mais 25 segundos de margem sobre Price.

Em quarto, mas ainda sem tempos de passagem por vários CPs, o que pode indiciar uma forte penalização, ficou Ricky Brabec. O americano da Honda cruzou a linha de chegada com uma diferença de 3m55s para Sunderland.

Enquanto isso, Joan Barreda, que ontem levou de vencida a tirada, teve um dia para esquecer. O espanhol da Honda abriu a pista e começou desde logo a perder terreno, mas por essa altura o atraso era curto e perfeitamente recuperável. O pesadelo surgiu entre os CP 5 e CP7, com o espanhol a falhar a passagem pelo sexto controlo de passagem e a perder-se mesmo na fase final da classificativa. Quando deu pelo erro, Barreda já tinha rodado muito fora de pista e acabou por terminar a especial a 27m49s do vencedor. Uma margem muito grande e que pode mesmo custar-lhe o Dakar.

Quem também não teve dia bom foi Xavier de Soultrait. O gaulês acabou por “seguir” o exemplo de Barreda e perdeu-se. Ainda assim, o piloto da Yamaha concedeu apenas 11m52s para o primeiro, no que foi um dia muito mau para a armada dos três diapasões, que viu todos os seus pilotos ficarem fora dos dez primeiros.

Em resultado de todos estes acontecimentos, a classificação geral sofreu várias alterações. Sunderland regressou à liderança (3h20m43s), recuperando desde o sétimo posto. Quem também ganhou várias posições foi Benavides, que passou de quinto para segundo (+3m03s), assim como Price, que ontem era décimo e hoje ocupa a terceira posição (+3m28s). Brabec é, por agora, quarto (+3m55s), enquanto Quintanilla completa o Top 5 (+4m20s). Já Barreda continua a cair na geral enquanto outros pilotos vão terminando a especial.

scroll up