Tanak imperial na Alemanha

20 agosto 2017

No dia nacional da Estónia, o piloto do Ford Fiesta WRC mostrou que também sabe conduzir em asfalto liderando o Rallye da Alemanha desde a 7ª especial, defendendo-se dos ataques de Andreas Mikkelsen que ao conquistar o 2º lugar a apenas 16,4 segundos de Ott Tanak mostrou que o Citroen C3 WRC está mais eficiente. Muito perto da dupla da frente, a apenas 30,4 segundos do vencedor e a 14,0 segundos da 2ª posição, um muito controlado Ogier também explicou como se defende o título mundial com um 3º lugar, ganhando ainda mais 2 pontos a Neuveille na Power Stage.

Ott Tanak alcançou na Alemanha a 2ª vitória do ano e também a segunda da sua carreira. Pela primeira vez foi num rali de asfalto, provando assim a sua eficiência em qualquer tipo de piso, mostrando que está a caminho da perfeição e na corrida pelo título de 2017. Mas isolado na frente do campeonato está agora o campeão Sebastien Ogier, que com um bem administrado 3º lugar consegue livrar-se de Thierry Neuville que depois de partir a suspensão do Hyundai i20 WRC na 10ª especial perdeu a hipótese de lutar pela liderança do mundial de ralis, não conseguindo sequer pontos na Power Stage, onde foi só o 6º mais rápido. Quanto ao 2º lugar de Mikkeklsen, foi muito bem digerido pela Citroen, que vê assim o fruto do trabalho de Sebastien Loeb na afinação do C3 WRC.

A M-Sport tem mais do que razões para festejar na Alemanha. Não só venceu o rali com Tanak, regressou à liderança do mundial de ralis com Ogier, como também venceu a categoria WRC 2 com Eric Camilli, que impôs o Ford Fiesta R5 aos Skoda Fabia R5 de Kopecky e Tidemand. Tudo azul para o emblema da oval e para Malcom Wilson que assim sai de território germânico com Ogier na frente do campeonato e com Tanak também com hipóteses de lutar pelo título de 2017. E se Ford e Citroen tiraram bons proveitos desta etapa do mundial, até porque Craig Breen levou o Citroen C3 ao 5º posto da geral, a Toyota não conseguiu melhor que o 4º lugar de Juho Hanninen com o Yaris WRC, juntando a 7ª posição de Latvala, o que é significativamente pouco. Pior ainda fez desta vez a Hyundai, que depois dos azares de Neuville e Sordo, teve de se contentar com o 8º lugar de Hayden Paddon e com a vitória na Power Stage de Dani Sordo. No lote dos dez primeiros, de referenciar ainda a 6ª posição de Elfyn Evans (Ford) e o 9º lugar do piloto local Armin Kremer (Ford), à frente melhor WRC2, o Fiesta de Camilli.

Um Rallye da Alemanha que continua a manter emocionante o WRC 2017, colocando na astúcia e eficácia de Sebastien Ogier a liderança do mundial em pleno verão, mas que mantem intactas as esperanças de Thierry Neuville e Ott Tanak, o grande vencedor da prova alemã, agora também ele um senhor candidato ao título.

scroll up