Thierry Neuville vence na Argentina por menos de um segundo

30 abril 2017

El Condor, o derradeiro troço do Rali da Argentina, com 16,3 km deixou ao rubro a decisão em relação ao vencedor da prova sul-americana. Elfyn Evans entrou para a última especial com seis décimas de segundo de vantagem para o Hyundai i20 WRC de Thierry Neuville, que num duelo fantástico viria a inverter a situação, ganhando a Power Stage e saindo como vencedor da prova com 7 décimas de segundo de vantagem em relação ao Ford Fiesta WRC de Evans. Num rali longo, muito exigente e desgastante a diferença entre primeiro e segundo classificado é digna de uma prova de velocidade, o que mostra bem a emoção que envolveu até final esta etapa do WRC. E se Evans foi a agradável surpresa do Rali da Argentina, dominando totalmente o primeiro dia da prova e defendendo-se muito bem no segundo dia dos ataques de Neuville e Tanak, também o piloto belga do Hyundai teve o mérito de recuperar de forma fantástica o atraso sofrido no primeiro dia devido a problemas de suspensão, para partir de forma determina à procura da sua segunda vitória do ano. Para Elfyn Evans perder um rali deste tipo por menos de um segundo é desconcertante, pensando talvez que a fase de gestão da sua liderança, poderia ter sido ligeiramente mais apertada, embora não adivinhasse o ritmo arrebatado que Neuville impôs ao seu Hyundai.

Para além desta luta empolgante vivida a dois, um pouco mais atrás, Ott Tanak esperava por alguma ocorrência entre os dois homens da frente, mantendo no entanto um excelente ritmo com o seu Ford Fiesta WRC, acabando o rali no 3º lugar do pódio a 29,9 segundos do vencedor. Já longe dos lugares do pódio e debatendo-se com uma gestão complicada do seu Fiesta, o campeão do mundo Sébastien Ogier viria a terminar a prova na 4ª posição mas já a 1m24,7 de Evans, mantendo no entanto no 5º lugar um galopante Jari-Matti Latvala em Toyota Yaris WRC que terminou a prova argentina a 1m48,1 da liderança, fechando assim o “Top 5” do rali. Bastante mais longe e depois de ter capotado logo no inicio Hayden Paddon viria a colocar o seu Hyundai no 6º posto mas já a 7m42,7, numa prova completamente à parte, uma vez que o 7º classificado, Juho Hanninen em Toyota ficou a 11m16,9 de Evans. Também muito longe do que é normal, o espanhol Dani Sordo depois de bater com o seu Hyundai no primeiro dia de prova, fez um rali em plena recuperação para terminar no 8º lugar a 14m44,1 da liderança, deixando o Ford de Mads Ostberg, que chegou a andar nos lugares da frente, na 9ª posição a 15m11,3, Para fechar os dez primeiros classificados na Argentina, o melhor entre os carros da categoria WRC2. Pontus Tidemand levou o seu Skoda Fabia R5 até ao 10º lugar, vencendo a sua categoria com mais de dez minutos de vantagem para o argentino Juan Carlos Alonso, também em Skoda Fabia R5.

Um Rali da Argentina muito emotivo, com uma vitória de Thierry Neuville que ficará na história, com apenas sete décimas de segundo de vantagem para Elfyn Evans, um excelente presságio de emoções que serão servidas na próxima prova do WRC 2017, o Vodafone Rally de Portugal entre 18 e 21 de maio.

scroll up