Vitória inequívoca de Craig Breen em Mortágua

23 setembro 2017

Palavras para quê, é um piloto do WRC que veio a Portugal a convite do Citroen Vodafone Team para vencer de forma categórica o Rali de Mortágua. Craig Breen só não fez o pleno de vitórias em especiais de classificação porque Miguel Barbosa venceu a Super Especial de abertura na noite de ontem, e o piloto oficial da Citroen penalizou 50 segundos por atraso na chegada ao troço inaugural.

Depois só deu Breen, que venceu todos os sete troços agendados para hoje, até recuperar a liderança da prova a Carlos Vieira que resistiu até não ter mais argumentos para o piloto irlandês. E se a estrela do mundial de ralis foi a Mortágua para encantar, a luta nacional pelo título de campeão esteve ao rubro, essencialmente com o duelo entre Pedro Meireles e Carlos Vieira. Isto porque Miguel Barbosa nunca conseguiu encontrar o ritmo ideal e João Barros teve problemas graves na bomba de gasolina do Fiesta e ficou demasiado cedo fora de prova

Nas contas do Campeonato Nacional de Ralis, quem mais lucrou foi Carlos Vieira o 2º classificado em Mortágua e o melhor nacional. Pedro Meireles continua a liderar, agora com 8,4 pontos de vantagem em relação a Vieira, depois do 3º lugar na prova do Clube Automóvel do Centro. Quando falta apenas o Rali do Algarve para o final do campeonato, Pedro Meireles e Carlos Vieira são os dois únicos candidatos ao título de 2017.

E se Craig Breen foi um caso à parte, de mencionar que nas contas nacionais, Carlos Vieira obteve 6 vitórias em troços, contra uma vitória de Miguel Barbosa e outra de Pedro Meireles. Depois do pódio formado por Craig Breen (Citroen Ds3 R5), Carlos Vieira (Skoda Fabia R5) a 27,3 segundos e Padro Meireles (Skoda Fabia R5) a 40,3 segundos, Miguel Barbosa (Skoda Fabia R5) e Diogo Salvi também em Skoda Fabia R5, fecharam o “Top 5” do Rali de Mortágua. Daniel Nunes em Peugeot 208 R2 foi o melhor entre os carros de duas rodas motrizes.

Numa prova bastante dura, e sempre com muito pó, Craig Breen trocou um Citroen C3 WRC por um DS3 R5 e mostrou um andamento de outro mundo, sem que fosse necessário andar nos limites. Em termos nacionais a luta pelo título fica agora reduzida a Pedro Meireles e Carlos Vieira.

scroll up