WRC, Baja... o melhor do ano do ACP

28 dezembro 2017

2017 voltou a pontuar o calendário do ACP com muitos factos dignos de registo para quem gosta de desporto motorizado.

Vodafone Rally de Portugal

A 51ª edição do Vodafone Rally de Portugal arrebatou o público e os especialistas da FIA com o voo de Esappeka Lappi em Fafe, eleito o Melhor Salto do Ano nos WRC Awards e Melhor Evento Desportivo do Ano FIA. Também a Braga Street Stage foi eleita como o Melhor Momento Desportivo do Ano na IV Gala do Desporto.

O nível de competitividade no Vodafone Rally de Portugal foi impressionante, fruto das alterações de regulamento implementadas no WRC e que deram origem a uma das temporadas mais disputadas dos últimos tempos. Prova disso, foram oito vencedores ao longo das 19 especiais. Mais impressionante ainda, foi a primeira vez na história do WRC que três pilotos assinaram o melhor crono numa classificativa (após Mads Østberg e Thierry Neuville terem registado o mesmo tempo na SSS1 – Lousada, Ott Tänak, Craig Breen e Kris Meeke partilharam o pódio na SS4 – Ponte de Lima 1).

Apesar da concorrência feroz, a vitória foi para Sébastien Ogier, que festejou o quinto triunfo em Portugal, igualando o recorde de Markku Alén conquistado há 30 anos. No final da temporada, o gaulês acabaria por alcançar outro penta no Campeonato do Mundo, curiosamente o pior da sua carreira, com apenas duas vitórias absolutas em 13 ralis disputados...

Rally de Portugal Histórico

A 12ª edição de uma das mais prestigiadas provas de Regularidade Histórica da Europa chamou a si a participação de 99 formações. No final, após as emblemáticas passagens noturnas pelos troços de Sintra, Yves Deflandre repetiu a vitória. Paisagens únicas, o regresso da prova à Figueira da Foz e uma adesão em massa de belgas e franceses marcaram este rally histórico.

Revival no Autódromo

O Estoril Classic levou os adeptos do automobilismo a uma viagem no tempo até ao Rally de Portugal dos anos 70 com a reedição do Slalom do Circuito Estoril. Um evento que contou com a presença do penta-vencedor da prova do ACP, Marku Alén. Três décadas após a última vitória em solo nacional, o finlandês encantou os milhares de espectadores que marcaram presença no Autódromo para o verem aos comandos do Fiat Abarth 131.

Baja decidiu títulos

A primeira prova do TT nacional celebrou 30 anos de vida com vários recordes. Ricardo Porém tornou-se o primeiro piloto a garantir quatro vitórias consecutivas na prova, o que lhe valeu a confirmação do título de Campeão Nacional, enquanto António Maio, nas Motos, e Roberto Borrego, nos SSV, se juntaram a Mário Patrão no “Clube dos 6” ao garantirem, ambos, a sexta vitória na prova no ACP. De novo a Baja de Portalegre 500 decidiu os títulos do nacional de automóveis, motos e quad.

Época de sonho para Miguel Oliveira

Miguel Oliveira, piloto ACP desde que iniciou a carreira no motociclismo de velocidade, fez ouvir o hino nacional três vezes consecutivas no Campeonato do Mundo de Moto2. A primeira surgiu no magnífico circuito de Phillip Island com o Oceano Pacífico em pano de fundo, seguiu-se o quente e exigente Circuito Internacional de Seang, na Malásia, e por último o Circuito Ricardo Tormo, em Valência, contribuindo para o que é uma coisa rara no Campeonato: um pódio em Espanha sem um único piloto da casa.

Fronteira fechou o ano em festa

Mas houve mais de Miguel Oliveira. Depois de terminados os primeiros testes de Moto2 com vista a 2018, estreou-se no Todo Terreno nas AFN 24H TT Vila de Fronteira. Terminou a prova à porta do Top 10 das 3 Horas SSV Vila de Fronteira. Foi o bastante para ficar com o bichinho e querer voltar em 2018.

A competição esteve ao rubro nas AFN 24 Horas TT Vila de Fronteira, que ficaram marcadas por um final absolutamente inesperado. Tudo apontava para o sexto triunfo da Família Andrade na prova quando, a 30 minutos do final aconteceu o imprevisto com a equipa a ser obrigada a parar devido a problemas na embraiagem. A equipa letã, então a três voltas do líder, acabaria por herdar a vitória.

scroll up