40 anos de Fiesta celebrados com quatro novidades

01 dezembro 2016

Quatro décadas depois do lançamento da primeira geração, e quatro anos após o mais recente facelift, eis que a Ford lança a próxima geração do Fiesta, a oitava, no evento Go Further, na sede europeia da marca em Colónia. Mais longo (71 mm), mais largo (12 mm), com mais tecnologia e ainda mais divertido de conduzir, o novo Fiesta apresenta-se não com um, não com dois, mas com quatro modelos distintos.

Disponíveis em versões de três e cinco portas, as quatro variantes da mais recente proposta do segmento B do construtor norte-americano prometem não deixar ninguém de fora e ir ao encontro dos ensejos dos clientes e das tendências do mercado.

A entrada na gama passa então a fazer-se com o elegante Titanium, se bem que a Ford, sem entrar em grandes detalhes nem grande destaque, reconhece que também colocará no mercado a mais acessível versão Trend.

Contudo, o mais cativante será, por ventura, a introdução de três novidades absolutas no que respeita ao Fiesta. O pequeno citadino da Ford vai passar a oferecer uma versão ST-Line, gama introduzida no início do ano em vários modelos do construtor, ao que se junta também o mais luxuoso Vignale, versão que até agora estava reservada a carros de segmento superior, como o Mondeo, S-MAX, Kuga e Edge. A oferta só fica completa com o totalmente novo Active, o primeiro crossover do Fiesta.

Qualquer uma destas propostas apresenta personalidade própria bem patente, seja por fora, ou por dentro, com componentes exclusivos de cada um deles. Por exemplo, o Vignale apresenta cores e detalhes exteriores exclusivos, assim como interior mais requintado, enquanto o Titatinum é facilmente identificado pelos faróis de nevoeiro verticais e a grelha frontal composta por barras horizontais. Já o mais desportivo ST-Line, não tão potente como os demais ST, mas imbuído do mesmo espírito, diferencia-se por uma frente mais marcante e aguerrida. Entre a nova geração Fiesta, inconfundível é o Active. Com ar mais imponente, graças a uma maior distância ao solo, às barras no tejadilho e às proteções em plástico que circundam toda a parte inferior, esta versão junta o lado prático dos hatchbacks ao espírito aventureiro de um pequeno SUV.

No interior também há variações entre as quatro versões, mas todas elas têm em comum o desenho cuidado, o sistema de entretenimento e comunicação SYNC 3, com ecrãs táteis até 8 polegadas e som B&O Play. Um exclusivo Ford que acaba por tornar ainda mais interessante o já vasto leque de 15 sistemas de ajuda à condução, como o Cruise Control Adaptativo, o Active Park Assist com estacionamento perpendicular, o Sistema de Assistência Pré-colisão com Deteção de Peões e Aviso de Colisão Frontal, entre outros. Ajudas que se tornam possíveis graças a duas câmaras, três radares e 12 sensores ultrassónicos que garantem uma cobertura do carro a 360 graus.

Em termos de motores, o novo Fiesta apresenta três possibilidades. O económico 1,0 litros EcoBoost turbo, capaz de debitar 100 cv, 125 cv e 140 cv; o 1.1 litros de 70 e 85 cv, que substitui o aspirado 1.25; e o diesel 1.5 TDCi com 85 ou 120 cv. O 1.1 está disponível com caixa manual de cinco velocidades, enquanto os restantes oferecem caixa manual de seis velocidades, sendo que o 1.0 EcoBoost de 100 cv tem como opção a transmissão automática de seis velocidades com patilhas no volante.

Em suma, um carro que pretende claramente manter o estatuto de qualidade e de sucesso de que goza no segmento B e, ao mesmo tempo, elevar a fasquia face aos rivais.

scroll up