A Hyundai construiu um carro para todos os feitios

21 janeiro 2017

A marca sul-coreana atingiu níveis elevados de maturidade e confiança, e já pensa ser o construtor asiático mais vendido na Europa em 2021. É com estes números que a Hyundai aponta para importantes metas, precisamente no ano em que celebra 50 anos da sua fundação. O novíssimo i30 é o cartão-de-visita ideal para o virar de página da Hyundai, marcando de uma forma nítida o novo ADN da marca que irá apresentar novos produtos nos próximos anos, como por exemplo a carrinha i30 SW, a ser mostrada já em março no Salão de Genebra. Mas se o i30 abre novos caminhos à marca coreana, moldando-o a diversos tipos de utilização e “feitios”, desengane-se quem pensa que a Hyundai vai ficar por aqui. A família SUV irá ter no decorrer de 2017 um novo elemento do segmento B, que se irá juntar aos já consagrados Tucson e Santa Fé. O recente Ioniq é um verdadeiro exemplo para o desenvolvimento da mobilidade elétrica e futuro tecnológico, com a marca a fazer apostas fortes na condução autónoma. Mobilidade, digitalização, conetividade e comunicação são palavras que dentro em breve irão projetar a Hyundai num futuro que está já ao virar da esquina.

Mas para já o ator principal é o i30, um carro que a Hyundai pretende tornar acessível a todos, sendo o automóvel que irá marcar o ritmo europeu com uma genética que a marca pretende desenvolver. Para que tudo isso seja possível, foi importante para a Hyundai ouvir a opinião do cliente e dar especial atenção ao design, espaço, ergonomia, tecnologias de segurança e, essencialmente, tornar o i30 num automóvel intuitivo. A primeira conquista faz-se precisamente pelo design e foi aí que o i30 vincou as principais alterações, tanto ao nível exterior, onde pontifica uma frente com grelha em cascata, que será a nova assinatura da marca para modelos futuros, mas também no interior, agora mais moderno e ergonómico, onde se notam linhas mais horizontais. Com conforto e espaço interior suficiente para cinco passageiros, o i30 oferece também uma excelente bagageira com capacidade que pode oscilar entre os 395 e os 1301 litros, presenteando ainda um conjunto de tecnologias de última geração, tanto ao nível da segurança, como das ajudas à condução e conetividade que o transformam num automóvel apetecível e extraordinariamente atual, numa tentativa clara de democratização deste tipo de equipamentos.

Com uma carroçaria mais leve e uma direção direta e precisa, o i30 foi sujeito a testes exaustivos a todos os componentes mecânicos no Centro de Testes Hyundai em Nurburgring com a marca a lançar um produto totalmente novo onde a confiança é palavra de ordem, como demonstram os cinco anos de garantia com quilometragem ilimitada oferecidos pela Hyundai. Em termos de motorizações o novo i30 pode vir equipado com dois blocos a gasolina e um motor 1.6 diesel com três níveis de potência. Para as características do nosso mercado, o 1.0 Turbo de três cilindros a gasolina com 120 cv deverá ser a opção de maior sucesso, embora o bloco 1.4 Turbo com 140 cv tenha uma utilização extremamente agradável. No capítulo dos diesel, o 1.6 CRDi divide potências de 95, 110 e 136 cavalos. As transmissões podem ser manuais de seis velocidades, ou automáticas de sete relações, no caso dos modelos de maior potência. O novo Hyundai i30 é um automóvel concebido na Europa e para a Europa que promete ser um forte argumento no muito concorrido segmento C dos compactos. A nova arma do construtor coreano irá estar disponível em Portugal em meados de fevereiro.

scroll up