Arteon é o modelo mais arrojado da história da Volkswagen

21 junho 2017

Posicionado acima do Passat, o Arteon vem substituir o CC e o Phaeton, combinando o melhor de dois mundos numa berlina cativante dedicada a quem gosta de conciliar luxo e requinte com tendências desportivas e prazer de condução.

Com o lançamento do Arteon, o construtor alemão pretende desencadear uma discussão no próprio território dos veículos Premium construídos no mesmo país e até no mesmo grupo. Por isso o Arteon é muito mais que um substituto de qualquer outro modelo da marca. Um automóvel bem pensado, construído de forma exemplar e que oferece a mais recente e avançada tecnologia aplicada no Grupo Volkswagen.

Uns toques revolucionários em termos de design colocam o Arteon como um Volkswagen diferente que, para além da reconhecida qualidade de construção, provoca agora sensações diferentes num nicho de mercado mais conservador, que privilegia o conforto e essencialmente a diferença, mas que também se deixa apaixonar por outras qualidades.

De capot longo e provocante, o Arteon exibe um perfil baixo e uma frente agressiva, mas com um toque de elegância que em breve irá ser comum a outros modelos da marca. O visual desportivo está patente em todos os ângulos de observação do novo topo de gama que, para além de tudo isto oferece espaço interior referencial, até porque tudo assenta sobre a base do longo Skoda Superb.

De capot longo e provocante, o Arteon exibe um perfil baixo e uma frente agressiva, mas com um toque de elegância que em breve irá ser comum a outros modelos da marca

O ar distinto do interior contrasta com o arrojo exterior, mas a qualidade dos materiais e montagem são de alto nível, com toques de requinte, que apesar de algo conservadores não deixam de ser convincentes, embora algo semelhantes ao Passat em termos de design, tudo isto dominado por um grande ecrã onde se comanda toda a tecnologia que o Arteon tem para oferecer e que assenta nas mais recentes apostas do grupo Volkswagen.

Novas e reforçadas tecnologias que não deixam ninguém indiferente e que se aproximam cada vez mais de uma condução autónoma. Uma bagageira com capacidade que varia entre os 563 e os 1.557 litros não deixa de impressionar.

Em Portugal as motorizações disponíveis passam por um bloco de 2,0 litros a gasóleo (150 ou 240 cv) e outro 2,0 litros, mas a gasolina (280 cv)

As motorizações que já estão disponíveis em Portugal assentam no bloco diesel de 2,0 litros que pode contar com tração dianteira no caso da versão de 150 cv, ou 240 cv com tração integral 4Motion. Para o mês de setembro está prevista a chegada de mais um diesel intermédio com 190 cv.

Mas, e ao contrário do que se pensava, o Arteon vai contar ainda com um motor a gasolina, tendo por base o bloco 2.0 TSI com 280 cv e tração 4Motion com caixa DSG. Já disponível na rede de concessionários Volkswagen em Portugal, o Arteon tem preços que oscilam entre os 43.286€ e os 62.563€. Arte em movimento é assim que a Volkswagen define a sua mais recente criação.

scroll up