Mercedes-Benz prepara terreno com um C de classe

17 outubro 2018

Um design mais cativante, pormenores que relançam o futuro, motores e caixas de velocidades que contribuem para maior eficiência e prazer de condução, são apenas alguns dos pormenores que relançam o C, um dos modelos mais apetecidos da Mercedes-Benz, que já vendeu mais de 9,5 milhões de unidades por todo o mundo.

Cerca de 50% dos seus componentes foram alterados, com este facelift do C a incorporar mais de 6.000 novas partes. As atenções recaem num design que mistura o ar de família Mercedes-Benz, com sinais lógicos de uma nova tecnologia, que no futuro irá marcar todos os modelos da marca. Três linhas distintas de design exterior, fazem brilhar farolins e faróis mais potentes e eficientes.

No interior, o requinte de um Mercedes-Benz desvenda um design mais moderno que envolve os mais recentes pacotes tecnológicos, onde se destaca o volante de nova geração. A câmara traseira e os sistemas de radar foram melhorados, bem como o sistema Distronic, agora com assistente de direção activo e um ajuste de velocidade automática baseado na rota.

Mas se todas estas ajudas à condução, conetividades e sistemas de segurança, não são mais do que naturais reflexos de fortes apostas da Mercedes-Benz no futuro, são os motores de nova geração que dominam o ritmo deste refrescadíssimo Classe C, que continua a ser um automóvel de referência, tanto nas versões Limousine como Station, ou nos mais encantadores Coupé e Cabriolet.

Um novo motor diesel de 4 cilindros, com base no conhecido 2,0 litros de origem Mercedes-Benz, continua a fazer as delícias dos condutores, mas dá também origem a um bloco de menor cilindrada com 1,6 litros, que irá também equipa o novo C. Este motor derivado do bloco de 2,0 litros poderá ser alargado a outros modelos da marca.

E se o peso dos diesel ainda tem um forte reflexo neste segmento do mercado, a hora dos motores a gasolina está cada vez mais acertada com a indústria automóvel. Assim, a estreia natural de um novo motor a gasolina de 4 cilindros com 1,5 litros, apoiado num sistema elétrico que pode desenvolver potências de 130 e 156 cavalos, é uma das novidades. A caixa automática MCT 9G vai coexistir em algumas motorizações com a caixa manual de seis velocidades.

Para os mais exigentes em termos desportivos, a AMG continua a dar tudo o que a Mercedes-Benz precisa, tendo por base os motores 3.0 V6 biturbo de 390 cv, ou o 4.0 V8 biturbo com 476 e 510 cavalos. Em relação a preços, o leque é muito vasto, mas pode começar a sonhar a partir dos 41.350€.

scroll up