O mais desportivo da Suzuki está adaptado aos novos tempos

10 maio 2018

Uma agressividade mais desportiva, mas também mais integrada no estilo que a Suzuki pretende transmitir em termos de design aos seus modelos, qualificam o novo Swift Sport, como o verdadeiro desportivo da marca que destaca elementos mais agressivos em relação às versões normais a gasolina, já conhecidas. Exibindo pormenores que fazem toda a diferença, para o nicho que continua a venerar o pequeno citadino da Suzuki,  e que promove paixões mais competitivas, o novo Swift Sport será o protagonista em 2019 da Copa Suzuki Swift Espanha, sendo provável que faça também algumas incursões em campeonatos europeus e até mundiais, na categoria de duas rodas motrizes.

Mas, se em termos visuais a diferença do Swift Sport em relação às anteriores gerações, pode causar algumas apreensões, o “coração” do novo desportivo da Suzuki é que mudou mesmo, e de forma radical. Deixando de lado a tão apreciada motorização de 1,6 litros com 136 cv não turbo, o construtor optou por utilizar o conhecido bloco a gasolina da marca de 1,4 litros e 140 cv de potência. Agora, um motor turbo de injeção direta, bafejado pelos milagres da eletrónica, faz com que a 3ª geração do Swift Sport alcance performances, mais ou menos satisfatórias, mas com consumos substancialmente inferiores às gerações anteriores.

Um interior com detalhes desportivos e um painel de instrumentos a condizer, faz com que o apaixonado condutor, muito bem instalado nos bancos especiais e envolventes, específicos de um carro desportivo, se deixe envolver por uma ligeira adrenalina que, no entanto, não faz esquecer os reconhecidos dotes dos Swift Sport anteriores, quando utilizava o saudoso bloco não turbo de 1,6 litros. Para acompanhar os novos tempos, claro que a conectividade faz parte da vida do novo Swift Sport, oferecendo tudo, e mais alguma coisa, que as novas gerações procuram. Por tudo isto, podemos afirmar que este Swift Sport é muito menos agressivo que as duas gerações anteriores, admitindo, no entanto, que é muito mais económico e muito menos poluente. Consoante o traçado e o pé do condutor, é absolutamente possível fazer consumos que oscilem entre os 5,5 e os 7,0 litros por cada 100 km percorridos, o que, para as credenciais desportivas exibidas, não é nada mau.

Para atingir um curso mais curto e passagens mais ágeis, foram introduzidos melhoramentos na transmissão manual de 6 velocidades que equipava a anterior geração do Swift Sport. A força de atuação foi ajustada para melhorar a suavidade das passagens e aumentar o feedback do condutor, complementado por melhoramentos técnicos que aumentam a rigidez e a sensação de uma passagem mais direta. Em relação à suspensão, mantendo a sua posição como o modelo mais desportivo da Suzuki, as capacidades de manobrabilidade encontradas no anterior Swift Sport foram aperfeiçoadas no novo modelo, com uma maior estabilidade de condução, otimização da rigidez de rolamento e melhorando a resposta dinâmica. O novo Suzuki Swift Sport vai chegar ao mercado português durante a última semana de maio, contando com um preço especial de lançamento de 20.178€, sendo depois disso fixado nos 22.211€. As previsões apontam para que o Sport represente cerca de 20% do volume de vendas do Suzuki Swift.

scroll up