Um Rio de caudal abundante alarga as margens da Kia

02 fevereiro 2017

O Kia Rio está seguramente mais europeu, apontando para um equilíbrio perfeito entre a emoção e a razão, que tanto influenciam na aquisição de um automóvel do segmento B. A marca pretende alargar as suas margens numa Europa repleta de heróis locais, que dificultam ao máximo a implantação de um modelo asiático, que embora rendido aos hábitos e gostos do velho continente, tem sentido alguma dificuldade em mostrar alternativas credíveis aos bem instalados Polo, Clio, 208 ou Fiesta. Mas agora a marca coreana sente que há potencial nos seus novos produtos, desejando apanhar a oportunidade de mostrar o que sabe e pode fazer, aceitando um duro desafio neste concorrido segmento B. O Kia Rio é apenas uma das montras do construtor coreano, que apresenta sem medo o estilo, a dinâmica e as tecnologias do novo Rio, um automóvel capaz de se mostrar atrativo, prático, dinâmico e seguro. Com uma frente que exibe o chamado nariz de tigre da Kia, o seu perfil baixo e dinâmico não disfarça um namoro desportivo necessário a cativar uma clientela mais jovem, embora o Rio se assuma com um carro para todas as idades.

Se em termos exteriores o design consensual convida a uma experiência, o ambiente interior pode considerar-se prático e atrativo, com novos tons e novo tablier seguro e funcional. Por dentro há mais espaço para todos e a conetividade é palavra de ordem em conjunto com as mais recentes tecnologias de assistência à condução. Mas o novo Kia Rio assenta numa estrutura de chassis mais leve, mas também mais segura. Novas suspensões e uma nova direção mais precisa e mais dinâmica contribuem para uma maior agilidade do Rio, sendo o segredo para quem procura instalar-se num segmento crucial para Kia, onde o equilíbrio e o bom senso são fatores essenciais. A confiança da Kia aumenta na proporção direta dos novos produtos que vão chegando ao mercado europeu. Sem receios de enfrentar a concorrência, como demonstram os 7 anos de garantia de todos os seus modelos, o Rio é a nova proposta para o demasiado concorrido segmento B.

Em Portugal a Kia também pretende quebrar fronteiras e colocar a marca no lugar que ela merece. Os seus responsáveis afirmam que existe potencial para uma vasta gama de produtos e que o Rio, a chegar ao nosso país na 2ª quinzena de março, poderá ser mais uma alavanca para a consolidação da marca, uma vez que, só este modelo tem representado cerca de 35% das vendas da marca no nosso país. E a aposta nacional para o Kia Rio faz-se com quatro motorizações, duas a gasolina e duas diesel. A oferta mais tentadora poderá ser o bloco 1.0 Turbo de três cilindros com 100 cv de potência, capaz de prestações mais aliciantes, proposto com o único nível de equipamento mais elevado (TX) por 19.300€. Ainda dentro das motorizações a gasolina, o 1.25 de 84 cv está disponível com três níveis de equipamento com preços compreendidos entre os 15.600€ e os 17.800€, todos equipados com caixa manual de cinco velocidades. Na gama diesel, o Kia Rio estreia o motor 1.4 CRDi, um turbo-diesel com potências de 77 cv e preços de 19.500€ e 19.750€ e o mais potente com 90 cv e níveis de equipamento mais elevado por 21.980€ e 22.830€, estes com caixa manual de seis velocidades.

scroll up