ASSISTÊNCIA SEM MURPHY

FLORBELA ALMEIDA
Responsável pela Assistência ACP
06 outubro 2016

“Sábado, dia 6 de agosto, começamos a nossa viagem de carro rumo a Madrid. Temos uma semana de descobertas pela frente. Vamos conhecer Madrid pela primeira vez… “

Quando vamos de viagem, o entusiamo também vai connosco. Contamos conhecer coisas novas, passar bons momentos e relaxar. O problema é quando surge um imprevisto. Por isso, o serviço de assistência em viagem deve fazer parte da nossa mala e não ocupa espaço – é só o necessário para guardar um número de telefone.

A maior parte das pessoas já acautela este aspeto da viagem. Chegar a Madrid, ter o azar de ficar com o carro avariado, saber a quem recorrer e evitar despesas que podem chegar a valores exorbitantes, dentro do mau, é um descanso. Previnem-se antecipadamente para não ter chatices.

Os serviços de assistência em viagem começaram a desenvolver-se no início do século XX, por iniciativa dos clubes automóveis europeus e americanos. Em Portugal, o Automóvel Club de Portugal implementou os primeiros serviços de assistência no País em 1933 com dois veículos de apoio, um em Lisboa e outro no Porto. Ao longo destes 83 anos, os meios de assistência foram beneficiando gradualmente da evolução tecnológica ao nível dos veículos de intervenção e ao nível das comunicações, permitindo uma maior facilidade de contacto e de localização das ocorrências.

Por trás do número de telefone da assistência, estão centenas de meios logísticos importantes espalhados em Portugal e no estrangeiro, prontos a entrar em ação para desempanar, rebocar ou transportar as pessoas em apuros com o seu veículo. Dificilmente quem está fora deste meio pensa nos bastidores de uma operação de assistência em viagem: colaboradores que trabalham por turno para assegurar um serviço 24h/24, uma base de dados selecionada e acumulada com os anos de experiência, profissionais apetrechados com os melhores equipamentos, um sentido de emergência permanente na estrada…

Estamos numa era muito evoluída, uma era de telemática e de tecnologia nos veículos, veículos sem condutores, de plug-ins, de veículos elétricos ou híbridos. Mas, sem dúvida, todos eles continuarão o seu percurso contando com o serviço de assistência em viagem do ACP.

Porque, como bem dizia Murphy, se alguma coisa pode dar errado, dará.

scroll up