CORRIDAS COM FAVOS DE MEL

ROSÁRIO ABREU LIMA
Diretora da Revista ACP
10 maio 2017

Os meninos brincam com carros e as meninas com bonecas. E o Peugeot 3008 prova que isso era no tempo em que não havia SUV.

Apresenta-se com uma grelha impactante, de afirmação poderosa, descrita nas suas duas versões como potente e penetrante. E é talvez a imagem de marca deste modelo. Ao vê-lo, os meus olhos foram direitinhos para a grelha, mas talvez por nunca ter brincado com carros, recordou-me os vestidos de criança, ornamentados com favos de mel.

As marcas apostam cada vez mais neste tipo de grelhas, antes usadas pelos modelos desportivos. A necessidade aguça o engenho – motores mais potentes precisam de maiores entradas de ar para os arrefecer– vai daí, as grelhas passaram a ser um chamariz nos novos modelos.

Umas mais discretas, outras mais luminosas, são uma tendência forte a que os designers se renderam. Os olhos vagueiam depois pelo ar robusto do 3008, com alguns traços arrojados que resultam num conjunto harmonioso. A traseira é também uma imagem de marca, com os piscas a serem todo um statement: a marca diz que o estilo é “ultramoderno e icónico, com um friso horizontal preto brilhante que integra as luzes de LED de três garras acesas, tanto de dia, como de noite”. Não querendo estragar a estética da coisa, fiquei na dúvida se partindo-se uma dessas garras a manicure na garagem é completa…

O interior deste modelo é um parque de diversões para quem gostava muito de ter um carro de corridas. Desde logo, o volante pequeno e achatado em cima e em baixo. Se terá passado discreto quando entrou em cena com o 308, neste SUV ganhou destaque. E as seis teclas em piano do painel de bordo levam-nos diretos ao mundo das corridas, ainda que o écran seja touch e muito intuitivo.

A inovação do i-cockpit, que muda e personaliza a configuração do painel de bordo, faz as delícias das crianças e dos adultos, divididos novamente entre um estilo “racing” ou um pragmático, mas bonito, gps.

Menos conseguido é o revestimento dos bancos ao nível estético. Se a versão topo de gama acompanha o arrojo, o modelo intermédio vem com uma versão tipo alcatifada, longe dos traços conseguidos no exterior e no painel de bordo. Com um interior espaçoso, este SUV passou no teste do parque de estacionamento do El Corte Inglés, provando ser um modelo perfeitamente adaptado ao ritmo citadino. E passou também no teste das crianças, do cão, do supermercado e das viagens mais longas.

Não se estranha assim que o SUV estrela da Peugeot tenha vencido o prémio mais cobiçado pelas marcas automóveis. É o carro do ano europeu, declarado por 58 jornalistas especializados, por reunir potência, design, acabamentos e inovação. As 5 estrelas do Euro NCAP são inevitáveis neste modelo que alguns classificam como de afirmação mais masculina. Mas eu regresso aos favos de mel que embalaram a minha experiência com o 3008.

* Esta opinião é apenas focada na estética e no neuromarketing. As caraterísticas técnicas ficam para os especialistas

scroll up