Dona da Volvo aposta em carros-voadores

10 setembro 2019

A startup alemã Volocopter revelou uma parceria com a Zhejiang Geely Holding Group, dona da Volvo, o que abre as portas ao mercado da China. Nesta ação pelo principal mercado asiático, a Volocopter conseguiu angariar 50 milhões de euros em novos fundos.

A Volocopter, que garante estar a construir os primeiros táxis aéreos tripulados, elétricos e verticais do mundo, disse em comunicado que outro dos notáveis investidores angariados nesta nova ronda de financiamento é o grupo alemão Daimler - a Geely comprou uma participação de 9,7% na Daimler em 2018, estando previsto no futuro construir a próxima geração de carros elétricos Smart na China através de uma "joint-venture".

Os cerca de 85 milhões de euros angariados no total vão ser usados para concretizar a anunciada aeronave VoloCity, com lançamento comercial previsto para os próximos três anos.

O presidente da Geely, Li Shufu, disse em comunicado que este investimento reflete os esforços para converter o grupo às novas tecnologia de mobilidade, investindo e desenvolvendo uma ampla gama de tecnologias da próxima geração.

O investimento de Geely ocorre num momento em que o Estado chinês tenta demover os automobilistas da opção dos motores a combustão em favor de veículos com novas formas de energia, procurando assim diminuir a poluição do ar e também a dependência estrangeira do fornecimento de petróleo.

Li Shufu está a alargar o seu império para além do setor automóvel, explorando desde a área de satélites de baixa órbita a microchips. O grupo anunciou em 2017 a compra da Terrafugia Inc., sediada nos EUA, empresa que está também a tentar produzir um carro voador já em 2019. A Geely também havia assinado um acordo em novembro com empresa estatal China Aerospace Science and Industry Corp. para construir "comboios supersónicos”usando tecnologia chinesa.

scroll up