Modelos Maserati vão deixar de ter motores Ferrari

14 maio 2019

Durante décadas, a Maserati beneficiou da parceria com a Ferrari e que agora está prestes a chegar ao fim. Com o acordo entre as duas marcas a expirar em 2021, os modelos do símbolo do tridente deixam de estar equipados com blocos da marca do Cavalino Rampante, nomeadamente o potente V8 que tantas alegrias deu à Maserati no desporto automóvel pelo seu elevado desempenho.

O começo do fim desta colaboração começou em 2015 quando a Ferrari se estabeleceu como marca independente do grupo FCA, depois de ter passado por um período em que foi submetida a uma oferta pública inicial para investidores independentes, um negócio que voltou a encher os cofres da Fiat, mas também das famílias ligadas às duas marcas: os herdeiros de Enzo Ferrari e a família Agnelli.

Historicamente, a Maserati tem-se destacado pela sua linha de motores de 6 cilindros com dupla ignição, os blocos V6 e V8, mas uma vez integrada no grupo FCA foi gradualmente abandonando o desenvolvimento das motorizações, tendo os seus modelos começado a incorporar motores da Ferrari a partir de 2002.

Como resultado desta colaboração, o Quattroporte com motor Ferrari V8 chegou ao mercado em 2004 e não demorou tempo a ser considerado como o carro com o som mais emocionante do mundo. Nesta fase final da parceria, os novos Maserati Levante, Ghibli, Quattroporte, Gran Turismo e Gran Cabrio vão surgir já sem motores Ferrari a partir de 2021 ou 2022, o mais tardar.

scroll up