O mundo dos clássicos muda-se para Pebble Beach

14 agosto 2019

Pebble Beach é um pitoresco refúgio para milionários na Califórnia que anualmente acolhe a Monterey Car Week (entre 15 e 18 de agosto), onde se concentram todas as atenções do mundo automóvel, incluindo a presença de colecionadores de todo o mundo desejosos por ver e comprar os mais diversos tipos de clássicos,  muitas vezes a preços astronómicos.

Entre leilões de modelos de outros tempos e a presença de marcas que aproveitam o evento para exibir as suas novidades, o Concurso de Elegância é um dos momentos mais aguardados para assistir ao famoso desfile de veículos históricos, que depois são distinguidos pelo seu valor e estado de conservação.

Em 2018, o “Best of Show” do concurso foi um Alfa Romeo 8C 2900B Touring Berlineta, de 1937 (foto de abertura). Existem apenas cinco exemplares no mundo, desde que foi lançado no Salão de Berlim em 1938.

A par das raridades que todos os anos animam o Concurso de Elegância de Pebble Beach, também existem curiosidades que cativam o público. Este ano, por exemplo, a Mercedes-Benz prepara-se para apresentar uma réplica do SSKL de 1932. Isto porque o modelo original perdeu-se no tempo, mas a marca resolveu fazer-lhe uma homenagem ao fabricar uma réplica que vai conduzida em público pela primeira vez neste concurso.

Para os que vão a Pebble Beach fazer negócio nunca perdem os leilões, sempre muito concorridos e que no ano passado foram dominados por dois recordes: um Ferrari 250 GTO de 1963, vendido por 48,4 milhões de dólares (valor mais alto de sempre num leilão de um veículo clássico) na RM Sotheby’s e um Duesenberg SSJ Roadster de 1935, que foi vendido por 22 milhões de dólares (automóvel dos EUA mais caro de sempre) na Gooding & Co.

Este ano, uma das novidades já anunciadas é o leilão do Ferrari 312T com que Nikki Lauda foi campeão do mundo em 1975, o primeiro de três campeonatos obtidos pelo piloto austríaco. Ganhou o Grande Prémio de França, em Paul Ricard, obteve a segunda posição no Grande Prémio da Holanda e terceira no Grande Prémio da Alemanha, no Circuito de Nürburgring. Foi o primeiro piloto a fazer uma volta ao “Inferno Verde” com um tempo abaixo dos sete minutos. Em todos os Grande Prémios em que Lauda conduziu este 312T, a Pole Position foi obtida por ele. O valor estimado da venda fixa-se entre os seis e os oito milhões de dólares, ultrapassando o recorde obtido por um Fórmula 1, o Ferrari F2001, conduzido por Michael Schumacher, arrematado por 7,5 milhões de dólares, em 2017.

Também se sabe que a RM Sotheby’s vai levar a leilão vários modelos da Ferrari dos anos 50 e 60, alguns deles raros. A liderar o grupo está o Ferrari 250 SWB California Spider de 1962, o único exemplar deste modelo que nunca foi restaurado e que, por isso, conserva toda a sua originalidade incluindo a pintura exterior e o interior. O seu valor de venda está estimado entre 10,5 e 13 milhões de dólares.

scroll up