Hamilton vence a distância na frente do Mundial

02 setembro 2018

No sábado Sebastian Vettel disse que Kimi Raikkonen seria autorizado a vencer o Grande Prémio de Itália desde a pole position e a verdade é que durante boa parte da corrida tudo inidicava que assim seria. Ainda para mais depois Vettel ter exagerado na defesa da posição face a um ataque de Lewis Hamilton ainda na primeira volta, na segunda chicane.

Hamilton apareceu por fora e Vettel optou por tentar manter-se a seu lado. O resultado foi um toque que levou Vettel a fazer um pião e cair na classificação. O britânico, enquanto isso, saiu ileso do incidente e tratou de imediato de ir atrás de Raikkonen.

O finlandês da Ferrari foi primeiro à box, com Hamilton a entrar com o Mercedes oito voltas mais tarde. Com pneus frescos, e com o segundo Mercedes de Valtteri Bottas, que ainda tinha de parar, a travar Raikkonen na frente, Hamilton reduziu a desvantagem para se colar ao Ferrari. Chegou então a vez de Bottas ir às boxes, deixando o caminho aberto para Raikkonen, mas o finlandês deparou-se com problemas nos pneus.

Hamilton esperou pela altura certa para levar a cabo o seu ataque e reclamar a liderança a oito voltas do final, isolando-se depois para assinar uma brilhante vitória um pouco contra a maré. Raikkonen levou o carro nas palminhas das mãos até final para terminar em segundo, com Max Verstappen a cruzar a meta em terceiro. Contudo, o piloto da Red Bull viu depois ser-lhe aplicada uma penalização de cinco segundos que acabou por o fazer terminar atrás de Bottas e Vettel na classificação final.

Vettel deixa assim Monza a 30 pontos do líder Hamilton após um fim-de-semana em que era de esperar vê-lo reduzir o atraso para pelo menos dez pontos. Contudo, há ainda sete provas por disputar e um máximo de 175 pontos em jogo.

scroll up