Vergne brilha em Santiago do Chile

04 fevereiro 2018

Pela primeira vez na história da Fórmula E os pilotos da Techeetah, Jean-Eric Vergne e Andre Lotterer, terminaram nas duas primeiras posições naquela que foi também a primeira visita da competição de monolugares elétricos da FIA às ruas de Santiago do Chile.

“Foi muito divertido!” disse um muito entusiasmado Vergne depois de cruzar a linha de meta. “São corridas e tinha muito ritmo com o carro. Ele sabe defender-se muito bem,” disse Lotterer em justificação aos inúmeros ataques desferidos contra o colega de equipa.

Enquanto equipa cliente, a Techeetah está limitada a apenas três dias de testes – enquanto as restantes formações de construtores podem testar ao longo de 15 dias, o que torna esta dobradinha ainda mais impressionante.

No mais baixo do pódio ficou Sébastien Buemi, da Renault e.dams, que perdeu uma posição após ter começado a corrida do segundo lugar. “No geral estou um pouco desapontado. O terceiro lugar é sempre bom, mas um pouco desiludido por ter ficado atrás de uma equipa cliente,” admitiu Buemi.

Apesar do acidente de José Maria Lopez, da Dragon, ainda na primeira volta – e que levou à entrada do Safety Car em pista durante três voltas – Vergne liderou a prova desde a pole position. Nelson Piquet Jr. (Jaguar Racing), mesmo ensanduichado entre os dois Techeetahs, ainda conseguiu manter-se perto de Vergne, ao ponto de chegar a tocar na traseira do líder.

A meio do pelotão, o líder do Campeonato Felix Rosenqvist (Mahindra Racing) progrediu de forma gradual até à frente para terminar a corrida em quarto.

Desapontante foi a prestação dos pilotos da Audi Sport Abt Shaeffler que se debateram com problemas técnicos, com Daniel Abt a ir para as boxes ao cabo de apenas 13 voltas. Pouco depois de ter trocado de carro a meio da corrida, foi a vez de di Grassi, que ficou parado em pista. Apesar de ser o campeão em título, o brasileiro ainda não teve uma corrida livre de problemas desde o final da terceira temporada da Fórmula E, o que o deixa com apenas quatro pontos na geral.

Sem tempo mínimo de paragem nas boxes– ao contrário do que aconteceu nas rondas anteriores – o cronómetro não teve piedade dos pilotos quando estes entraram na via de boxes para as trocas de carros, com cada um deles a dar o melhor para bater os rivais.

Já bem na segunda parte da corrida, a prova continuava a ser liderada por Vergne, com o colega de equipa e estreante Andre Lotterer logo atrás, a apenas um segundo de distância. O germânico reduziu a diferença de forma gradual no final da corrida para chegar mesmo a lutar pelo triunfo.

Na 28ª volta Alex Lynn, da DS Virgin Racing, desistiu, enquanto Sébastien Buemi e Nelson Piquet Jr. lutavam entre si. Buemi acabou por passar pelo brasileiro na Curva 4, à 32ª volta. Dando continuidade ao ataque, e quando faltavam apenas quatro voltas, Lotterer colou-se à traseira do colega de equipa, de tal forma que quase atirava o líder contra a parede na Curva 5. Mas a sorte esteve do lado de ambos, que lograram uma dobradinha histórica.

Félix da Costa foi nono. O piloto da MS&AD Andretti Formula E partiu da 16ª posição da grelha e foi recuperando lugares para terminar entre os dez primeiros.

scroll up