OPINIAO 03_RAL

SIMPLESMENTE SIMPLES

ROSÁRIO ABREU LIMA
Diretora da Revista ACP
10 novembro 2017

Apresentar-se ao mundo vestido com o verde florescente da marca e as jantes cravadas a cristais Swarovski só pode ter um único objetivo: ou se ama ou se odeia. E se a exuberância com que o novo SUV da Škoda foi lançado me remetia para o mundo da Sissi, imperatriz da Áustria, a verdade é que, despido dessa fantasia, a perceção se transformou. E muito. O lema com que veio era desafiante q.b.: “Descubra novos caminhos” (e não, não me tornei adepta daquele verde nem tão pouco das valsas da icónica Romy Schneider).

Não sei bem a razão, mas a indústria automóvel escolhe, cada vez mais, cores exuberantes para os seus lançamentos, mesmo sabendo que o mercado acaba por comprar quase sempre preto, branco ou cinza em todos os degradés possíveis. Calhou-me um ‘beige cappuccino’ que, em bom rigor, é o equivalente a um vestido preto – fica sempre bem em qualquer ambiente.

Lá fui eu experimentar então a novíssima estrela da marca checa. Nas explicações preliminares, muito foram badalados os sete lugares, ou melhor, os dois bancos extra que podem ser também bagageira. Pronto, era mais um daqueles raladores maravilha que faz tudo e vem com mil peças que nunca usamos por serem absolutamente impossíveis de montar!

Não pensei mais no assunto até à hora em que se juntou um grupo de amigos e éramos precisamente sete… E não é que não precisei de ajuda nem do habitual não tenho jeito nenhum para isto? Foi aí que me lembrei do slogan da própria Škoda. “Simply clever”. Mesmo. A publicidade insiste na robustez e no tamanho, além do espírito de família como pontos comuns com o famoso urso Kodiak que deu origem ao nome deste SUV. Pessoalmente, não sou muito dada à natureza selvagem e menos ainda a ursos, prefiro destacar a caraterística prática.

É familiar, mas em bom. Tanto pode estar carregado de crianças como transportar apenas dois passageiros que mantém o porte elegante, o conforto e uma condução sem nada a apontar. A conetividade é também muito badalada nesta publicidade. E aqui passou igualmente com distinção no teste infantil bem mais exigente, confesso, que o meu…

Ter quase cinco metros de comprimento não é impedimento para a cidade, entra e estaciona com grande facilidade em qualquer parque. Mas as marcas da História, sobretudo as da década de 60, perduraram durante muito tempo na Škoda. E foi só a partir dos anos 2000 que a perceção começou a mudar na Europa Ocidental, impulsionada pelos avanços tecnológicos e pelos modelos cada vez mais atrativos lançados pela marca checa.

Houve mesmo uma viragem na imagem que começou no Reino Unido com a campanha "It is a Škoda, honest" ("É um Škoda, honestamente"). Para isso muito contribuiu a integração no grupo VW e uma estratégia empresarial “simply clever”: oferece o melhor primeiro na marca checa, uma espécie de teste antes de produzir na marca ‘mãe’.

Pela parte que me toca, descobri novos caminhos e um SUV com que apetece fazê-los.

* Esta opinião é apenas focada na estética e no neuromarketing. As caraterísticas técnicas ficam para os especialistas.

scroll up