Oliveira estreia-se nos pontos no MotoGP

31 março 2019

Miguel Oliveira lidou muito bem com as condições apresentadas pelo exigente circuito de Termas de Río Hondo este domingo ao terminar o Grande Prémio da Argentina na 11ª posição para somar os primeiros pontos na categoria rainha do Campeonato do Mundo de MotoGP.

Vindo de 14º da grelha, o piloto ACP fez uma partida limpa e depressa encontrou um ritmo estável e constante para levar a cabo aquela que foi a sua segunda corrida no MotoGP, melhorando claramente a gestão de pneus face ao primeiro Grande Prémio do ano para terminar à frente de grandes nomes do Mundial, nomeadamente à frente do antigo Campeão do Mundo Jorge Lorenzo.

A gestão de Oliveira foi de tal forma eficaz, que o jovem da KTM logrou apresentar um ritmo muito positivo na fase final da corrida para entrar em animada luta com os irmãos Pol e Aleix Espargaró. Um embate no qual o português por pouco não se impôs aos espanhóis. Mesmo assim, Oliveira nunca descolou de Pol ao longo de toda a corrida, o que é muito importante quando se tem em conta que o espanhol é também piloto KTM, mas com muito mais experiência.

"Estou muito contente com esta corrida. Ficar nos pontos, que era o nosso objetivo, deixa-nos a todos muito contentes," começou por afirmar Miguel Oliveira após o final da prova.

"Fizemos uma boa corrida, com grande ritmo. No final ainda tentei passar o Pol e o Aleix [Espargaró], mas não consegui ritmo nas retas e isso prejudicava-me bastante. Tinha de forçar muito na travagem para tentar uma ultrapassagem e isso era bastante complicado. Mas estou satisfeito com a minha evolução e progressão na moto. Estamos no bom caminho, ficámos apenas a uma décima da melhor KTM e isso deixa-nos muito motivados para continuarmos a trabalhar neste caminho; está a ser duro, mas estamos a conseguir tirar todo o partido da moto, o que nos deixa muito felizes. Vamos agora o Texas para descobrir uma pista nova com esta moto e estamos motivados para continuar um bom trabalho.

No final, a vitória foi para Marc Márquez, que liderou sem oposição desde o apagar das luzes, seguido de Valentino Rossi, que garantiu o intermédio do pódio quase em cima da linha de meta ao bater Andrea Dovizioso.

scroll up