Viñales leva Yamaha de volta às vitórias

28 outubro 2018

Maverick Viñales colocou ponto final na travessia do deserto da Yamaha ao conquistar espetacular vitória no Grande Prémio da Austrália de MotoGP. O espanhol levou a cabo uma segunda parte de corrida imperial para assinar a primeira vitória desde o GP de França de 2017 ao bater Andrea Iannone por 1,5 segundos e Andrea Dovizioso no que foi um pódio composto por três construtores diferentes: Yamaha, Suzuki e Ducati.

No início da corrida Danilo Pretruci (Alma Pramac Racing), que fez uma partida brilhante desde oitavo, fez a Curva 1 por fora para assumir a liderança, mas na Curva 2 fez uma incursão por fora de pista que colocou ponto final no ataque. Contudo, o seu colega de equipa Jack Miller tirou bom partido da situação para ir para a primeira posição na Curva 4.

Já o homem da pole, Marc Márquez (Repsol Honda), ficava atrás de Miller, com Iannone em terceiro, mas o espanhol acabou por assumir a liderança na segunda volta, com Dovi em segundo, Iannone em terceiro e Miller em quarto. Foi aí que começaram as trocas de posições na frente, com os pilotos a rodarem todos muito próximos.

Mas pouco depois Johann Zarco (Monster Yamaha Tech 3) e Márquez tocaram-se no início da sexta volta, com o francês a perder o controlo da moto e cair a cerca de 300 km/h. A moto de Zarco danificou a de Márquez, que também se viu forçado a desistir. Ambos saíram ilesos do incidente.

Desta forma Dovi, Miller e Iannone ficaram na frente, mas com Viñales a iniciar o ataque. O espanhol não tirou bom partido da segunda posição da grelha, chegando a rodar em décimo, mas à 8ª volta, na Curva 4, fez a ultrapassagem que o levou à vitória. Maverick fez então um tempo canhão para garantir numa volta apenas uma vantagem de 0,8 segundos.

Enquanto isso, atrás dele, tinha lugar animada luta entre Valentino Rossi (Movistar Yamaha), Iannone, Álvaro Bautista (Ducati Team) e Dovi, mas nenhum deles conseguia chegar à frente.

A batalha continuou até final com Iannone a levar a melhor e a garantir o intermédio do pódio à frente de Dovizioso, enquanto Bautista foi quarto e Alex Rins (Suzuki Ecstar) se superiorizou a Rossi para fechar o Top 5 à frente do italiano.

scroll up