Peugeot apura ainda mais o seu instinto futurista

27 fevereiro 2017

Segundo a Peugeot revelou em comunicado, o Instinct Concept, o veículo autónomo que será apresentado no Salão de Genebra, foi concebido sob três principais eixos: modo de condução, liberdade de movimentos e interconectividade.

Confiante de que a condução autónoma será a próxima revolução automóvel, a Peugeot tentqa já marcar a sua posição lembrando que "todos os construtores serão capazes de implementar esta tecnologia, mas a sua configuração fará a diferença entre as marcas".

É por isso que nesta apresentação mundial o destaque seja dado à plataforma I.o.T1 incorporada num automóvel funcional. Trata-se de uma plataforma de Samsung ARTIK Cloud que integra o automóvel na nuvem do seu utilizador.

Isto quer dizer uma nova forma de viver a mobilidade. O automóvel integra os dados que o utilizador deseja partilhar, sejam do smartphone, do relógio inteligente ou da domótica. As atividades quotidianas realizam-se a partir de agora sem rutura, em continuum. De casa para o trabalho, passando pelas atividades recreativas, o Peugeot Instinct Concept apresenta uma nova gama de utilizações, com toda a fluidez.

Este autónomo apresenta quatro modos de deslocação, dois de condução (Drive Boost ou Drive Relax) e dois autónomos (Autonomous Sharp ou Autonomous Soft). Para reajustar o habitáculo, este Peugeot tem um Responsive i-Cockpit, que redefine o interior para corresponder às utilizações geradas pela condução autónoma. Os interfaces são configurados – antes, durante e após a utilização – em função do modo de viagem selecionado e do perfil do próprio utilizador. Em modo Autónomo, pode executar um comando, uma manobra através do i-device integrado na consola central. 

A Peugeot anuncia um motor de 300 cavalos desenvolvidos pela corrente da tração Híbrida Plug-in, com quatro rodas motrizes. 

scroll up