Produção de carros aumenta e já vale 6% do PIB

17 janeiro 2018

A indústria do automóvel portuguesa continua a ser uma fonte de boas notícias para o país: depois de em novembro se saber que a Autoeuropa ia quebrar o recorde de produção de 800 unidades por dia com o Volkswagen T-Roc (na foto), agora é a vez da PSA Mangualde (Peugeot/Citroën) anunciar o melhor desempenho nos últimos quatro anos.  

Esta fábrica da PSA produziu 53.600 veículos em 2017, divididos entre os modelos Peugeot Partner e Citroën Berlingo, um aumento de produção que vai obrigar a introduzir uma terceira equipa, o que equivale a 225 novos postos de trabalho, a partir de abril, pois a fábrica vai produzir um novo modelo comercial ligeiro, conhecido por K9, o que vai aumentar a produção anual para os 75 mil veículos. 

A isto soma-se o facto de que a fábrica de caixas de velocidade da Renault, em Cacia, ter produzido 10 milhões de unidades e ter sido eleita pelo segundo ano consecutivo a melhor fábrica deste componente de todo o universo Renault-Nissan. Esta é a segunda maior fábrica da indústria automóvel portuguesa, segundo o critério do número de colaboradores, com cerca de 1200 funcionários. 

Esta pujança confirma os dados apresentados esta semana pela Mobinov (Associação do Cluster Automóvel) no seu estudo sobre o setor.  Em Portugal estão instaladas cinco fábricas de automóveis (PSA Mangualde; Volkswagen Autoeuropa; Toyota Caetano; Caetano Bus e Mitsubishi Fuso Trucks), que trabalham com 900 empresas fornecedoras, num total de 72 mil empregos. Se em 2016 foram produzidos 143 mil veículos em Portugal, em 2017 o número sobiu para os 177 mil veículos, mas a previsão é de chegar às 300 mil unidades em 2020.

O T-Roc, na VW Autoeuropa, o K9 na PSA de Mangualde, o primeiro camião 100% eléctrico da Mitsubishi Fuso Trucks, e o previsto aumento da produção Caetano Bus justificam esta elevada expetativa. 

Segundo o estudo, esta indústria representa 20% das exportações de bens transacionáveis e 27% dos empregos gerados na indústria transformadora nos últimos cinco anos. No total, gerou quase 11 mil milhões de euros de volume de negócios, o que corresponde a 5,6% do PIB português. Em 2016 foram investidos 670 milhões de euros, o que representou 18% do investimento feito na indústria transformadora portuguesa. 

scroll up