Quem diria que o Micra tem ligações à F1?

11 janeiro 2017

Stefano Modena participou em mais de 80 Grandes Prémios de Fórmula 1 e, em 1989, subiu ao pódio no Mónaco com os lendários Ayrton Senna e Alain Prost. Mas o que conduz um homem habituado a velocidades de 300 km/h depois de se retirar das corridas? Talvez surpreendentemente a resposta é: o novo Nissan Micra.

Stefano arrumou as luvas, as botas e o capacete em 2000 e, três anos mais tarde, juntou-se à Bridgestone como piloto de desenvolvimento de produto, fazendo parte da equipa de testes de pneus que trabalhou em conjunto com a Nissan para encontrar o desempenho pretendido para o novo Micra.

O trabalho foi levado a cabo em conjunto com a equipa do Centro Técnico da Nissan Europa (NTCE) em Espanha e no Reino Unido e com os engenheiros do Centro Técnico da Europa da Bridgestone, sendo percorridos milhares de quilómetros na pista de testes European Proving Ground da Bridgestone, próxima de Aprilia, na Itália.

O resultado é um automóvel de dois volumes compacto que se posiciona bem no centro do segmento B e que já conquistou o lugar de finalista de Carro Europeu do Ano 2017.

"Conduzi o novo Micra pela primeira vez há mais de um ano atrás e fiquei muito surpreendido, porque me fazia lembrar um kart: direção muito precisa, chassis muito estável. E tratava-se apenas de um protótipo, agora está ainda melhor. É um automóvel muito ágil que oferece ao condutor muita confiança," disse Stefano.

De referir que o Micra está disponível com pneus de 16 e 17 polegadas e que, dependendo dos mercados, é também comercializado com pneus Michelin e Continental, contudo, segundo a marca o desempenho é idêntico com todos os pneus.

scroll up