Renault investe na mobilidade com visão artificial

10 novembro 2016

Conduzir com visão artificial é um conceito que está cada vez mais a conquistar a atenção dos fabricantes de automóveis. É o caso da Renault que neste sentido se associou à Chronocam, empresa que está a desenvolver novos sensores para uma visão computadorizada com inspiração em sistemas biológicos, e que vão permitir acelerar a criação de automóveis com mobilidade autónoma.

A tecnologia proprietária da Chronocam foi desenvolvida com vista a simular o funcionamento do olho humano, o que deverá permitir uma análise mais eficiente do ambiente e melhores reações do automóvel autónomo.

A Renault espera integrar os sistemas da Chronocam no seu projeto atual Advanced Driver Assistance Systems para que passe a beneficiar de uma deteção mais rápida de pessoas e obstáculos, enquanto a câmara deverá ser também capaz de identificar alterações à localização e condições de condução. Esta tecnologia também deverá ser mais barata, com uma implementação mais rápida nos sistemas de segurança de automóveis autónomos da Renault, podendo também ser usada em automóveis convencionais em prevenção de colisões, proteção de peões e na eliminação do ângulo morto.

Tendo por base uma forte aposta no futuro, a Aliança Renault-Nissan anunciou recentemente que os veículos elétricos podem entrar brevemente em modo “low cost” com um automóvel destinado ao mercado chinês, que deverá custar pouca mais de sete mil euros.

O Renault Zoe e o Nissan Leaf, modelos que contribuem para a mobilidade inteligente, encontram também soluções económicas que possam viabilizar um ambiente mais sustentável.

scroll up