Um Porsche perdido no tempo

07 junho 2017

Enquanto carros como o Alfa Romeo Spider, o BMW 02 Series, o Ferrari 365, os Fiat 124 Sport Spider e o Dino, os Lamborghini 400 GT e o Miura, o Lotus Europa e o Maserati Ghibli eram dados a conhecer ao mundo em 1966, a Porsche associava-se à Universidade de Aachen com o objetivo de tornar ainda mais ágil o 911.

O resultado foi o Porsche 911 HLS e um desfecho de todo impensável para um modelo tão marcante na história da marca e dos carros desportivos.

À primeira vista, o protótipo com carroçaria de alumínio apresentava linhas familiares à marca, mas não impressionou os responsáveis da Porsche em Zuffenhausen. A proteção metálica do motor traseiro marcava pela diferença, assim como o posicionamento das óticas frontais eram as diferenças mais evidentes. Isto até se tentar aceder ao habitáculo...

No lugar das portas, uma carlinga, ao estilo de qualquer avião de combate, abria para frente no que na altura foi considerado um teto retrátil.

O arrojo foi significativo e talvez tenha sido esse o motivo que relegou este raro e estranho Porsche a ficar esquecido a um canto durante 40 anos à chuva, sol e vento a enferrujar...

O abandono foi tal que nem mesmo os maiores conhecedores e especialistas do construtor e do incontornável 911 tinham alguma vez ouvido falar deste Porsche. A sorte do 911 HSL só não se manteve inalterada porque, em 2004, Manfred Hering, um especialista do modelo, tropeçou no carro.

Hering foi desafiado a restaurar o carro, mas com um orçamento a rondar os 30.000 euros recusou a proposta. Ainda assim, conseguiu chegar a acordo para a compra do 911 HLS, em conjunto com o motor original e um segundo propulsor desmontado. Desde então o carro já esteve em exposição e Hering acabou mesmo por não resistir e iniciou o longo e penoso processo de restauro do 911 HLS.

Pode ser que um dia o venhamos a ver rodar na estrada e ouvir o inconfundível som do boxer de 6 cilindros. Até lá, resta a consolação de saber que alguns dos elementos deste carro foram usados noutros modelos: a posição dos faróis frontais foi adotada no 935, modelo que dominou a competição na segunda metade dos anos 70; e o formato da traseira, com metal e vidro, foi introduzido nos 924 e 928. Ao contrário, o roll bar prateado foi inspirado no utilizado no Targa.

Fotos: Classicdriver.com
scroll up