O escaravelho de ouro da Citroen que andou pelo deserto

18 outubro 2017

Foram tempos de descoberta e de aventura vividos por um grupo que decidiu desbravar as areias do deserto do Sahara em 1922, numa expedição pioneira, onde André Citroen demonstrou ao mundo a fiabilidade dos seus automóveis, mas acima de tudo a capacidade imaginativa de uma marca que sempre teve a inovação como lema.

O Escaravelho de Ouro (Scarabée d’Or), um veículo semilagarta denominado tecnicamente como Citroen B2, modelo K1, viria a servir de base e lançar mais duas expedições e travessias do Sahara em 1924 e 1931 que viriam a ficar célebres como a “Croisières Noire” e “Croisières Jeune”. Um sonho de André Citroen tronado realidade, e que viria a impulsionar futuros veículos que se moviam em cima de lagarta.

O projeto de reconstrução deste histórico Escaravelho de Ouro, esteve a cargo de um grupo com mais de 60 estudantes e 20 professores, que se empenhou nesta verdadeira aventura pedagógica, tendo estado em exposição no Museu das Artes & Ofícios de Paris, no âmbito da Festa da Ciência.

A Citroen foi o parceiro natural deste projeto histórico, através de diversos contributos, que tornaram possível toda a dinâmica em torno do “Scarabée d’Or”. O Conservatório da marca prevê expor o renovado veículo, junto do exemplar histórico a tempo das celebrações do centenário da Citroen em 2019.

Para conhecer online e mergulhar na história da marca, basta aceder a www.citroenorigins.pt. Lançado no ano passado, o site tem vindo a aumentar a sua lista de modelos apresentados e o número de países a partir dos quais é possível aceder a este espólio virtual. São agora 32, repartidos pela Europa, África, Ásia e América Latina. O Citroën Origins oferece uma experiência imersiva inédita nos modelos míticos da marca, através de visualizações a 360º, sons específicos (motor, buzina, etc), brochuras de época, desenhos e textos humorísticos, etc.

scroll up